Ao Vivo Água Boa - MT (99,7 FM)

André Borges Programa: Sertanejo Classe Especial
Locutor: André Borges

Ouça Agora!

(66) 99652-7007

Ao Vivo Querência - MT (97,9 FM)

Myke Alexandre Programa: Arena Sertaneja
Locutor: Myke Alexandre

Ouça Agora!

(66) 98438-0051

Agronegócio

Interativa edita Live da Aprosoja/MT com detalhes importantes sobre Zoneamento Ecológico

live zonaCUIABÁ – A Aprosoja/MT discutiu ontem por rede social, a questão da proposta do Zoneamento Ecológico. Técnicos da entidade foram bem claros em ressaltar que se a proposta da forma como está for aprovada, imediatamente 380 mil hectares que hoje produzem soja em Mato Grosso, serão afetadas.

Além disso, 78% dos projetos de logística de transporte, incluído a BR-242, BR-158 e a FICO – Ferrovia de Integração Centro Oeste também terão dificuldades na área de projetos. O prazo para a consulta no site da Seplag/MT termina dia 18 de março. Já a Aprosoja entende que os produtores deveriam dar atenção a essas questão.

Outro dado levantado pela Aprosoja indica que o Zoneamento Ecológico pode afetar também 69% das áreas hoje ocupadas com pastagens. Eles disseram também que o município de Cocalinho seria praticamente 100% afetado, com todas as áreas embargadas para a produção agropecuária. Isso causaria demissão em massa dos trabalhadores no campo, um desastre para a economia do município.

As mineradoras de calcário que atuam em Cocalinho também seriam afetadas, o que em cadeia afetaria o abastecimento de calcário para todo o Médio Araguaia. Veja a reportagem extraída do Youtube da Aprosoja.

A Aprosoja vai disponibilizar para cada município de Mato Grosso, todos os impactos do Zoneamento.

A entidade também vai apresentar um documento sugestivo ao Estado em nome de todos os produtores de soja do Estado, com as reivindicações que contemplem o agronegócio.

Veja Vídeo Aqui:





=======================================================

Atualizada 10 mar

 

aprosoja debateCUIABÁ – A Aprosoja/MT discutirá por rede social, a questão da proposta do Zoneamento Ecológico.

Será hoje, a partir das 15hs com Marlene Lima, gerente de Sustentabilidade e Thiago Rocha, consultor de Política Agrícola. Os debates acontecerão pelo Zoom Meeting. (Site www.aprosoja.com.br)

Os temas levantados nessa Live irão nortear a posição da Aprosoja frente ao assunto de destaque estadual.

O problema é que a Live ocorre justamente no meio da tarde e no meio da colheita da soja e do plantio do milho safrinha, quando os produtores estão com serviço a todo vapor.

O prazo para a consulta no site da Seplag/MT termina dia 18 de março, mas a AFAVA – Associação dos Fazendeiros dos Rios Araguaia, Cristalino e das Mortes já solicitou que ninguém vote na proposta. (Ascom Afava)

 

===============================

Aprosoja pede cancelamento do Zoneamento - 19 fev
aprosojaCUIABÁ - A Aprosoja Mato Grosso iniciou uma ampla campanha de conscientização sobre o grave problema que pode surgir com a proposta de Zoneamento Ecológico. Segundo a Aprosoja, a proposta não afeta só a economia, mas principalmente a vida do cidadão. Alguns milhões de hectares de terras podem ser afetadas diretamente, sendo retiradas do agronegócio.

Na área da infraestrutura, rodovias e hidrovias podem ser duramente atingidas pelo plano. Segundo a Aprosoja Mato Grosso, o município de Cocalinho no Araguaia, seria totalmente privado de se desenvolver economicamente na agropecuária. Cerca de 20% de toda a atividade produtiva de Mato Grosso poderia ser comprometida. Mais de 69% das áreas com algum potencial agrícola seriam afetadas pelo Zoneamento. A Aprosoja pediu a suspensão imediata da proposta do Zoneamento. O alerta da Aprosoja vem se somar à preocupação da AFAVA – Associação de Fazendeiros do Vale dos rios Araguaia, Cristalino e das Mortes, sobre a economia do Vale do Araguaia.
Veja o Vídeo da Aprosoja









===================================


gracianoVALE DO ARAGUAIA - Eng. Agrônomo, Doutor em Administração, Xico Graziano, está descontente com a proposta de zoneamento do Governo de Mato Grosso, que pode acabar com a piscicultura no Araguaia.

Pequenos produtores criam pirarucu em tanques em algumas cidades da região. Porém, segundo Xico Graziano, a criação de peixes pode acabar, migrando somente para a pesca tradicional.

O agrônomo ressalta que essa proposta não tem cabimento, já que os pequenos produtores se estruturaram na piscicultura.

Esse zoneamento pode inviabilizar as pequenas propriedades rurais.










Veja vídeo com Xico Graziano.

Veja mais notícias: