Água Boa - MT (99,7 FM)

Interativa Playlist Interativa Playlist
Interativa Playlist

Ouça Agora!

(66) 99652-7007

Querência - MT (97,9 FM)

- Interativa Playlist
-

Ouça Agora!

(66) 98438-0051

Ribeirão Cascalheira - MT (103,1 FM)



Agronegócio

Colheita da safrinha começa com bons resultados, mas terá quebra - veja vídeo

Atualizada dia 20 jun 2022

lucas delaiÁGUA BOA – A colheita da cultura de milho 2º safra, também chamada de “safrinha” iniciou e já atinge 20% da área cultivada. Dos cerca de 65 mil hectares plantados, 13 mil já foram colhidos. As informações partem da Associação dos Agrônomos de Água Boa. Valdir Luiz Fraportti
Segundo o agrônomo Lucas Delai as produtividades estão dentro do esperado. As lavouras plantadas dentro da janela ideal e com tecnologia de ponta, apresentam produtividade que varia de 50 até 150 sacas de milho por hectare. A média até o momento está em torno das 120 sacas por hectare.

Conforme explica o agrônomo, a tendência da média final é ficar abaixo de 100 sacas por hectare, devido a interrupção das chuvas no início do mês de abril. Dependendo das condições do solo, consolidação das lavouras, capacidade de armazenamento de água, quanto mais tarde foi realizado o plantio menor será a produtividade final.

sorgoDelai acompanhou parte da colheita do produtor Valdir Luiz Fraporti, do PA Jaraguá, que cultiva 680 ha de milho. Nesta propriedade, em uma área de 200 hectares a produtividade média fechou em 110 sacas por hectare. safrinha

Em uma outra propriedade, de outro produtor, foram colhidos 260 ha de lavoura de milho com média de 83 sacas por hectare, 260 ha de milheto com média de 27 sacas por hectare, 500 ha de sorgo com média de 30 sacas por ha e 95 ha de girassol com média de 11 sacas por hectare.

Outro fato a destacar é de que, na cultura de milho, continuam as perdas ocasionadas por ataques de porcos selvagens exóticos e nativos. Os trabalhos de colheita prosseguem com normalidade e os preços do produto giram em torno de R$ 65,00 a R$ 72,00 na região. Isso é fator positivo para a rentabilidade do produtor, afirmou Delai.
VEJA ENTREVISTA AQUI - 



======================== 
Atualizada dia 25 maio 2022

Jose Otavio VicentinÁGUA BOA – As culturas de segunda safra não terão produtividade cheia devido à interrupção das chuvas a partir do início do mês de abril.
Com isso, o solo com pouca umidade ocasionou perdas nas lavouras, principalmente nas áreas plantadas a partir do mês de março. O levantamento é da Associação dos Engenheiros Agrônomos.
Os plantios mais tardios ocasionados pelo excesso de chuvas na colheita da soja e semeadura do milho afetou boa parte das áreas de milho.
O agrônomo José Otávio Vicentin afirma que na cultura do milho as quebras podem superar 25%. Outras áreas podem ter quebra de 40%.
A área com milho aumentou 58% em um ano. Foram plantados nesse ciclo, 60 mil hectares com o cereal. Porém, a estimativa de quebra de safra só vai se concretizar no momento da colheita, que começa em 15 dias.
As outras culturas como gergelim, com área em torno de 25 mil a 30 mil hectares e outras como milheto, sorgo e girassol tem maior resistência ao déficit hídrico. Os agrônomos ainda não chegaram a uma estimativa das quebras nessas culturas que deverão ser menores.
A entrevista completa daqui a pouco às 12h 30min na Rádio Interativa-Água Boa.
 
=========================== 
Atualizada - 19/ABR/2022

Soja fechou com 696 mil toneladas; milho aumentou área em 58% - veja vídeo

PADRAO NEWS.00 01 15 21.Quadro028ÁGUA BOA – Participa das Notícias Interativa o agrônomo Fabrizio Mazzei. Ele apresenta um balanço final da safra da soja no município.

Foram colhidas 696 mil toneladas da oleaginosa em uma área de cerca de 200 mil hectares. A produtividade fechou em 58 sacas de soja por hectare.

O levantamento é da Associação dos Agrônomos. Já o milho safrinha alcançou 60 mil hectares semeados, conta 38 mil no ano passado.

Houve aumento de 58% na área ocupada com o cereal em um ano. Porém, o produtor rural sofre com a falta de chuvas, principalmente em lavouras plantadas mais tarde, fora da janela ideal.

Mazzei afirmou que 50% das lavouras de milho no município ainda estão na fase de pendoamento, necessitando de chuvas.

Houve relato de ataques da cigarrinha do milho, o que exige atenção dos produtores. O gergelim ocupa cerca de 25 mil hectares.
Veja a entrevista:



=======================================

Atualizada - 21/MAR/2022
ANGELOCADOREMAR22ÁGUA BOA – A colheita da soja entra na reta final no município. 93% das lavouras estão colhidas. No atual ciclo foram plantados 200 mil hectares com a oleaginosa.
A informação é do agrônomo Angelo Cadore, presidente da Associação dos Agrônomos. Ele disse que a produtividade média deve fechar próxima aos 58 sacos por hectare. Alguns talhões de lavoura renderam perto de 80 sacas por hectare, mas os problemas climáticos no ciclo, acabaram puxando para baixo essa produtividade.
Produtores rurais e agrônomos relataram atoleiros em lavouras e em estradas, sem falar na longa espera para descarga do produto nos armazéns. Esses problemas foram mais registrados em função do aumento da área plantada e das chuvas intensas.
A área com milho safrinha já foi concluída chegando a 58 mil hectares. No ano passado, tinham sido plantados 38 mil hectares com milho de segunda safra. O aumento na área ocupada com milho em um ano é de mais de 50%.
A produtividade esperada deve ficar próxima aos 90 sacos por hectare. Cigarrinha e o percevejo estão atacando o milho, causando preocupação entre os produtores. As aplicações de defensivos agrícolas estão sendo efetivadas semanalmente para evitar prejuízos maiores.
Já a cultura do gergelim está sendo implantada no município com área menor, exigindo investimentos menores, mesmo com certos riscos. No ano passado tinham sido 20 mil hectares com o gergelim.
Veja vídeo da entrevista:



==============================

Atualizada dia 22 fev 2022

soja trÁGUA BOA – A colheita da soja prosseguiu com lentidão nas duas últimas semanas no município, devido às constantes chuvas. Cerca de 40% das lavouras estão colhidas. As colheitadeiras passaram em 80 mil hectares, dos 200 mil semeados com a oleaginosa.
As informações são da Associação dos Agrônomos. A produtividade média está caindo devido as altas umidades, em 58 sacas por hectare.  Levantamento foi efetuado em pesquisas de campo e com os produtores.
As perdas não são maiores em função da boa estrutura em maquinário. Apesar da adversidade climática, a colheita avança em ritmo lento, uma vez que se a chuva continuar, o quadro pode se agravar. Em alguns casos, os sojicultores conseguem colher a soja, mas não a semeadura do milho safrinha.
O transporte da safra também sofre em meio a estação chuvosa. A estimativa é de que cerca de 20 mil hectares estão semeados com milho safrinha.
O alerta dos agrônomos é quanto a presença da cigarrinha que injetam uma toxina, transmitindo um fito-patógeno. A praga causa enfezamento pálido e vermelho com potencial de causar danos de até 70% na lavoura de milho.
A previsão é que a área com milho alcance os 40 mil hectares. Outros 30 mil hectares devem ser ocupados com milheto, e 2 mil hectares com sorgo. Quanto à cultura do gergelim, os agrônomos ainda não têm previsão, pois depende da janela de semeadura do milho.
Com o atraso da colheita da soja e atraso na janela de plantio de milho, os produtores de Água Boa podem até abandonar o cereal. Isso poderia gerar aumento do plantio do gergelim. Esse quadro vai se definir nos próximos dias.

===========================

Atualizada - 09/FEV/2022
Cerotoma arcuata tingomariana68ÁGUA BOA – A safra da soja já chegou aos 20% da área total semeada que é de 200 mil hectares no município.

As máquinas já colheram cerca de 40 mil hectares. A informação é do agrônomo José Otavio Vicentin com base em levantamento da Associação de Agrônomos. A produtividade média varia de 45 sacas a 68 sacas por hectare.

Nessa fase, as lavouras de soja estão sendo atacadas por duas pragas, percevejo e ‘vaquinha’ Cerotoma. A praga perfura as folhas e atinge também as vagens, mesmo em áreas dessecadas, afetando a qualidade do grão. As pragas são de difícil controle. Produtores consultam agrônomos em busca da recomendação de produtos para aplicação visando a melhor solução.

Algumas lavouras tiveram problemas de seca no início do ciclo e outras em que as cultivares sentiram mais o estresse hídrico.

Também está ocorrendo diferença no peso de grãos. Um caminhão de 9 eixos tem até 4 mil quilos a menos de volume de produto se comparado com a safra passada. A soja não seca uniformemente, e por isso, a alta umidade também causa descontos nos armazéns. Grãos verdes e grãos avariados acabam causando mais prejuízos. Técnicos e produtores estão de olho nas condições climáticas torcendo para que maiores prejuízos sejam evitados.

As primeiras áreas colhidas já estão recebendo o plantio do milho safrinha para aproveitar a janela ideal. No pico da colheita ao longo dos próximos dias, podem ocorrer novamente longas filas de caminhões para descarga nos armazéns.

Veja vídeo da entrevista:



===========================================

Atualizada - 25/JAN/2022
ANGELO CADOREÁGUA BOA - As lavouras de soja estão começando a fase de colheita em Água Boa. O clima está favorecendo, pois as chuvas diminuíram e estão ocorrendo esporadicamente e em pancadas fracas, o que favorece a colheita. Isso permite a boa manutenção das estradas, fator primordial para a boa logística da commoditie. Euclasio Garrutti Junior

As informações partem da Associação dos Agrônomos. A área colhida reperesenta de 2 a 3% (4 a 6 mil hectares) de um total de 200 mil plantados no município.

O produtor Euclásio Garrutti Júnior, da fazenda Xororó, já colheu 500 hectares, 7% de sua área de plantio e está satisfeito com a produtividade inicial, de 65 sacas por hectare. Ele afirma que por enquanto está indo tudo bem, com plantio de milho na sequência. Ele aguarda boa produtividade nos próximos talhões das lavouras.

Já o produtor Celmo Iora, da fazenda São José no Garapu I, colheu uma área de 80 hectares, cerca de 18% de sua área total, com média de 60 sacas por hectare. Isso mostra que as lavouras apresentam produções diferentes dependendo de cada região, solo, e clima localizado.

O produtor Rodrigo Matos da fazenda Santa Cruz também iniciou a colheita e obteve 64 por hectare. Após um período muito chuvoso agora está ocorrendo um período de poucas chuvas, fator preocupante para lavouras ainda em fase reprodutiva e principalmente em as áreas localizadas em solos arenosos e/ou compactados que tendem a terem maiores perdas por ocorrência de períodos de veranico.

As colheitas serão intensificadas a partir desta semana, mas muitas lavouras ainda dependem de boa ocorrência de chuvas para garantir a boa produtividade. Os tratos culturais como aplicação de fungicidas e inseticidas prosseguem para que a sanidade das lavouras permita que a cultura tenha seu ciclo finalizado em boas condições para o sucesso da safra. (Ascom)

Veja entrevista:



=========================================

Atualizada - 17/JAN/2022

ÂNGELO CADOREÁGUA BOA – As lavouras de soja estão em condições favoráveis, apesar das intensas chuvas das últimas semanas.
A informação é do presidente da Associação dos Agrônomos. Ângelo Cadore disse que foram semeados cerca de 200 mil hectares com a oleaginosa. Infelizmente, há relatos de perdas por causa do excesso de chuvas. Porém, as perdas ainda não são quantificadas.
Cadore afirmou que as chuvas ficaram entre 300 a 600 milímetros acima da média, e as lavouras ficaram durante 15 a 20 dias sob intensas chuvas. Os produtores tiveram dificuldades para acessar as lavouras e aplicar produtos preventivos contra pragas e doenças.
O agrônomo observou que as primeiras áreas plantadas cedo com uso de irrigação registraram em média, 78 sacas de soja de produtividade por hectare.
Porém, para a soja plantada mais tarde, espera-se uma produtividade de no mínimo 58 sacas por hectare, o que redundará em uma colheita recorde no município.
Alguns produtores esperavam colher 68 sacas por hectare, mas se a conta fechar próxima aos 60 sacos terá sido um bom ano.
Veja entrevista:



===============================

Atualizada - 07/JAN/2022

FOTO: GRUPO BALDO
ÁGUA BOA - Começou a colheita de soja em Água Boa. Os produtores tiveram ontem e hoje (7), um pouco de incidência de sol, depois de vários dias de chuva, isso contribuiu para o inicio também.
Foram plantados aproximadamente 200 mil hectares com soja no município.
Alguns dos produtores, relataram que ainda continuam tendo problemas com pragas em suas lavouras, mas isso não deve atrapalhar tanto, a produtividade final geral média de Água Boa.

(Foto: Grupo Baldo)


==========================

Atualizada dia 16 dez 

danilo vianaÁGUA BOA - A cultura da soja teve os trabalhos de plantio concluídos e agora seguem os tratos culturais para a boa condução das culturas instaladas.

A informação é da Associação dos Agrônomos de Água Boa. O Engenheiro Agrônomo Danilo Viana que acompanha diversas lavouras de produtores do munícipio, informa que na fase vegetativa da maioria das lavouras houve muito ataque de cascudinho.

Isso se estendeu até o fechamento das linhas, e torrãozinho na fase inicial. Nas em fase reprodutiva o problema é o percevejo, e nas variedades não resistentes a lagartas (RR) o ataque de lagartas tem se intensificado.

Trata-se da lagarta falsa medideira, spodoptera e helicoverpa. Danilo ressalta ainda que outro ponto de destaque são as doenças de final de ciclo, como a mancha alvo e antracnose.

Como o ano está sendo de muitas chuvas e tempo fechado este é um fator que favorece muito ao desenvolvimento de doenças fúngicas, devido à umidade e alta temperatura. Os agrônomos pedem muita atenção e especial cuidado nas áreas em que foram feitos plantios recentemente.

Sugerem iniciar as aplicações de fungicidas preventivos na fase vegetativa. Para os produtores que conseguiram iniciar o plantio até os dia 15 a 20 de outubro as colheitas devem ter seu início no final de janeiro e início de fevereiro.

De maneira geral as lavouras de soja estão com desenvolvimento muito bom na região de Água boa, o que traz ótimas perspectivas de produção final. Segundo os agrônomos, uma boa colheita de soja é excelente para os produtores, para o município e toda a população, pois isto gera cada vez mais desenvolvimento e progresso.

 

==============================

Atualizada dia 08 dez 2021 

soja percevejoÁGUA BOA – A semeadura da soja está praticamente concluída no município.

A informação é do presidente da associação dos Agrônomos. Cristiano Zamboni disse que nessa semana foram concluídas as últimas pequenas áreas de replantio da soja em alguns talhões de lavouras.

Os agrônomos informam que as lavouras estão em bom estado, mas ainda não há estimativa de produtividade.

A presença de percevejos também preocupa e merece a atenção dos produtores. Por isso os insetos devem ser controlados agora para evitar problemas futuros.

Algumas lavouras estão recém na fase de germinação. A umidade no solo está dentro do esperado.

Foram semeados cerca de 200 mil hectares com a oleaginosa

 

==========================

Atualizada dia 30 nov 2021

 

ÁGUA BOA – A semeadura da soja está quase finalizada em Água Boa.

A associação dos Agrônomos apontou que hoje, 98% das lavouras estão plantadas com a oleaginosa.

O desenvolvimento vegetativo é considerado bom. A estimativa aponta que estão sendo semeados 200 mil hectares no atual ciclo.

Mostra que o plantio ocorre dentro da janela ideal. Produtores registram a presença do percevejo marrom na fase inicial da cultura.

Isso não representa danos imediatos, mas se não houver controle agora, na fase reprodutiva pode prejudicar a planta.

Também houve relatos de vaquinha e torrãozinho.  Os agrônomos alertam que as altas temperaturas e a umidade favorecem ao surgimento de doenças fúngicas, o que exige atenção dos produtores.

 

=======================

Atualizada dia 22 nov 

 

ÁGUA BOA – As chuvas prosseguiram ao longo da última semana em todas as regiões do município.

Os trabalhos de plantio da próxima safra de soja estão na reta final, chegando aos 95% dos 200 mil hectares estimados inicialmente.

A informação é de Cristiano Zamboni, da Associação dos Agrônomos. A germinação da soja está a contento, porém, onde ocorreu plantio no molhado, algumas áreas podem sofrer um pouco mais.

As pragas que surgiram até aqui são o percevejo, vaquinha e torrãozinho, mas nada que seja alarmante. Em algumas lavouras, a chuva até está atrapalhando os serviços de plantio.

A expectativa é de uma produtividade próxima das 60 sacas por hectare. O município deve ter outro recorde na produção de soja, se o clima colaborar.

 

=========================== 

Atualizada dia 16 nov 2021

 

soja 3ÁGUA BOA – Cerca de 90% das lavouras de soja já foram semeadas no município.

A informação é da Associação dos Agrônomos. A expectativa é de que sejam semeados 200 mil hectares no ciclo.

O levantamento mostra que 186 mil hectares já foram plantados. As chuvas são boas, melhorando as condições das lavouras. A germinação é considerada muito boa.

Torrãozinho e cascudinho são as pragas mais registradas na lavoura de soja, mas nada grave.

 

=============================

Atualizada dia 08 novembro 2021 - 70% das áreas semeadas 

 

agronomo angelo cadore ÁGUA BOA – A semeadura da soja chegou a 70% das lavouras no município de Água Boa.

140 mil hectares foram semeados. O levantamento foi efetuado pela Associação dos Agrônomos. O que mais sobressai nessa época é a chuva irregular.

Algumas áreas recebem chuvas pontuais, enquanto que em outras isso não ocorre com regularidade. A informação é do agrônomo Angelo Cadore.

Os agrônomos informam que algumas áreas terão que receber replantio justamente por falta de chuvas regulares.

Diante desse quadro, se o ritmo da semeadura se mantiver, o serviço de plantio deve ser finalizado até dia 20/11, se tudo transcorrer bem. Esse prazo é excelente para que os produtores tenham tempo de plantar também a safrinha.

Os produtores registraram alguns casos de ataque da vaquinha, um tipo de cascudinho, e também do torrãozinho, outra praga que tem aparecido recentemente nas lavouras de soja. Também foram registrados ataques de percevejos da soja, algo atípico para o início da temporada.

Outro fator negativo é a falta de alguns produtos para controle de pragas, como inseticidas, o que merece a atenção dos produtores.

Um fator importante é que as variedades de soja são precoces, auxiliando o produtor que pensa em plantar a safrinha.

Veja entrevista com Angelo Cadore

 

=====================================

Atualizada dia 25 outubro 2021

25% das lavouras semeadas em Água Boa - veja vídeo 

jose otavio vicentimÁGUA BOA - As chuvas em Água Boa ainda estão ocorrendo de forma irregular, mas o plantio prossegue nas áreas que já estão em condições ideais.

A Associação dos Agrônomos informa que 25% das lavouras já foram plantadas, perfazendo um total de 51.250 ha do total de 205.000 ha previstos para a safra 2021/2022.

O engenheiro agrônomo José Otavio Vicentim, afirma que na região da Visão, Princesa e outras, alguns produtores já tem 40% das áreas plantadas.

Os trabalhos foram acelerados desde a semana passada, mas em contrapartida nas regiões mais próximas à sede do município o plantio ainda é acanhado.

Muitos produtores ainda não iniciaram o plantio, fator já preocupante, pois as chuvas ocorridas não foram suficientes para viabilizar plantio com segurança.

Segundo Vicentim, os produtores estão preocupados, pois o atraso no início do plantio pode atrasar as datas de plantio de milho safrinha. Isso pode até causar redução na quantidade de área plantada, que é hoje de vital importância para a economia local e regional.

Nas áreas que foram plantadas no início do mês a cultura da soja vem se desenvolvendo satisfatoriamente.

Os tratos culturais como limpeza da área e eventual controle de pragas vem sendo realizados com normalidade.

José Otavio Vicentim observou que a produtividade prevista para a cultura da soja é em torno de 60 sacas por hectare com a tecnologia utilizada atualmente pelos produtores.

Veja entrevista

 

====================================

Atualizada dia 06 outubro

Semeadura da soja com as primeiras chuvas - veja vídeo

agronomo artur tolotti pompeuÁGUA BOA – Alguns produtores iniciaram o plantio da soja da safra 2021/22 em áreas do município mais beneficiadas com as primeiras chuvas.

O produtor Euclásio Garrutti Júnior da Fazenda Xororó, na região do Rio Bonito, próximo à Água Boa, já semeou 300 ha, sendo que 200ha já emergiram do solo com stand normal. Junior afirmou que agora irá esperar novas chuvas para dar prosseguimento aos trabalhos.

Os produtores Benildo Carvalho Teles e Rodrigo Reis do Grupo Teles já plantaram 150ha na Fazenda Imperial e 50ha na Fazenda 2 T, localizadas na Região da Soberana, próximo aos Rio Sete de Setembro, Martins e Córrego Fundo. semadura 1

Eles continuam o plantio em um talhão próximo ao Córrego Fundo, na Fazenda Princesinha, no Garapu I, divisa com Canarana onde ocorreu uma chuva boa.

O Agrônomo Artur Tolotti Pompeu da Associação dos Agrônomos disse que nestas regiões as chuvas já passaram dos 60mm, o que propiciou condições para o início da semeadura.

Os produtores realizaram os plantios e agora vão ficar no aguardo de novas precipitações para dar continuidade ao plantio da safra.

 semeadura 3Cuidados com a semeadura:

Para se firmar o cultivo e realizar um bom plantio o produtor deve estar atento a alguns cuidados como plantar com solo em umidade ideal, escolha de sementes de qualidade, fazer o teste de germinação, escolher a profundidade de plantio de acordo com as condições de umidade do solo, temperatura do solo em torno de 20 a 30ºC, sendo 25º a temperatura ideal.

Esses fatores irão proporcionar uma boa plantabilidade, viabilizando a germinação em condições ideais, o que é primordial para uma boa produtividade. (Ascom/Inácio Roberto)

Veja vídeo

 

============================

Plantio de soja começou com produtor que utiliza irrigação (pivô) - veja entrevista - Postada dia 24 Setembro

cristiano zamboniÁGUA BOA – Um produtor rural do município começou a semeadura da soja na terça-feira desta semana.

A informação é de Cristiano Zamboni, presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos do município.

Foram plantados 160 hectares em uma área com pivô (irrigação).

O produtor pode obter mais de 60 sacas de soja por hectare, utilizando irrigação.

Zamboni disse que a semeadura nas lavouras só deve começar na segunda quinzena de outubro, quando o solo estiver com boas condições hídricas e temperaturas amenas.

Para essa temporada, a expectativa é de que serão plantados cerca de 200 mil hectares com soja no município.

O agrônomo alerta que atualmente o solo apresenta temperatura elevada, prejudicando a germinação das sementes. Por isso, o aconselhado é de fazer o plantio da soja somente depois que o clico das chuvas se estabelecer.

Veja entrevista com Cristiano Zamboni.

Veja mais notícias: