0
0
0
s2sdefault

O relatório de oferta e demanda mundial do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) levou a cotação do milho negociado na Bolsa de Chicago ao limite de alta. Com isso, os preços ficaram no maior patamar desde maio de 2014. O vencimento para março subiu 5,08%, para US$ 5,172 por bushel. O documento trouxe cortes acima dos esperados pelo mercado para os estoques globais e nos Estados Unidos em 2020/21.


No Brasil, o indicador do milho do Cepea, bateu seu recorde nominal e ficou em R$ 83,32 por saca. Dessa forma, no acumulado do ano, os preços já subiram 5,9%.


 Baseado nos dados dos indicadores de grãos e carnes do (IMEA), em Querência o indicador do milho, calculado nos preços praticados na região do Araguaia, chegou aos seus R$ 62,30/ saca com variação de 7.14%.


Assim como no caso do milho, o relatório gerou forte reação dos preços da soja negociada, a oleaginosa que terminou o ano de 2020 com altas, nesta terça-feira (12) fechou em R$ 151,00/saca com variação de 10.38%.


A arroba do boi gordo segue em disparada neste início de ano, com um quadro de oferta ainda muito restrita e escalas encurtadas, O boi gordo à prazo fechou com R$ 264,91/@  e 8.75% de variação, já o Boi Gordo à Vista fechou em R$ 261.4/@ chegando a 10.76 % de variação.