• Anuncie
  • Brasil Escolar
0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 03 DEZ 2019

 

ÁGUA BOA - O Indea confirma mais um foco de raiva bovina em Água Boa. Dessa vez um bovino de uma propriedade rural na região do antigo Auto Posto Rei da Estrada teve laudo laboratorial positivo para a raiva.

Segundo o ógão, o proprietário do animal apresentou histórico de vacinação contra a raiva em etapas anteriores. Sempre é importante contra a raiva, que se faça a vacinação anual dos rebanhos.

Os primo-vacinados devem ser vacinados e revacinados após 30 dias de intervalo. Todos os produtores rurais em um raio de até 12km do foco da raiva devem vacinar obrigatoriamente seus animais contra a raiva, para evitar que a doença se alastre.

Depois, a comunicação da aplicação da vacina deve ser feita ao Indea. Quem vacinou em maio, não precisa revacinar. Porém, a dose imunizadora é para apenas um ano.

O último caso tinha sido registrado em Água Boa na região do Córrego do Angico em Água Boa, na semana passada. Foram confirmados esse ano casos de raiva em Água Boa, Gaúcha do Norte, Nova Nazaré, Ribeirão Cascalheira e também Bom Jesus do Araguaia.

 

================================ 

 

ATUALIZADA DIA 21 OUT 2019

 

GAÚCHA DO NORTE - Primeiro caso de raiva é registrado em Gaúcha do Norte.

Sete mortes de bovinos foram detectadas com suspeita para raiva. A confirmação é do médico veterinário Francisco Souto do Indea, regional de Água Boa.

Os casos se mostraram suspeitos na semana passada, e somente após investigação de material coletado em laboratório veio a confirmação para raiva. O foco de raiva está localizado a cerca de 20 quilômetros a cidade de Gaúcha do Norte.

Gaúcha do Norte se une aos municípios de Água Boa, Nova Nazaré, Ribeirão Cascalheira e Bom Jesus do Araguaia que também tiveram casos de raiva confirmados pelo Indea. Ao todo, são 12 casos diferentes nas útlimas semanas acometendo bovinos, equinos e ovinos.

 

======================================= 

 

ATUALIZADA DIA 09 OUTUBRO 2019

 

NOVA NAZARÉ – Mais um caso de raiva foi confirmado em Nova Nazaré pelos técnicos do Indea.

A notícia é do médico veterinário Francisco Souto. Trata-se de um bovino acometido pela doença. Agora já são 11 casos de raiva estão confirmados no Médio Araguaia. Tivemos animais atacados por morcegos hematófagos em Nova Nazaré, Ribeirão Cascalheira, Bom Jesus do Araguaia e Água Boa.

O Indea reforça o alerta aos produtores rurais da região que todos vacinem seus rebanhos contra a raiva. Os casos de raiva acometeram bovinos, equinos e ovinos.

Animais doentes não devem ser tocados pelos pecuaristas para evitar a transmissão da doença aos seres humanos. Quem tocar em animal contaminado com raiva deve buscar tratamento urgente.

 

===================================== 

 

ATUALIZADA DIA 27 SET 2019

 

RIBEIRÃO CASCALHEIRA – Mais dois casos de raiva em bovinos foram confirmados pelo Indea no município de Ribeirão Cascalheira.

Pelo menos 10 casos já estão confirmados no Médio Araguaia. Tivemos animais atacados por morcegos hematófagos em Nova Nazaré, Ribeirão Cascalheira, Bom jesus do Araguaia e Água Boa.

O Indea reforça o alerta aos produtores rurais da região que todos vacinem todos os rebanhos contra a raiva, para evitar prejuízos. Os casos de raiva acometeram bovinos, equinos e ovinos.

Animais doentes não devem ser tocados pelos pecuaristas para evitar a transmissão da doença aos seres humanos. Quem tocar em animal contaminado com raiva, deve buscar tratamento urgente

 

====================================== 

Sete casos - 25 set 2019

ÁGUA BOA - Mais um caso de raiva em animais foi confirmado pelos técnicos do Indea, no PA Pontal, em Nova Nazaré, na divisa com Água Boa.

A confirmação é dos médicos veterinários Francisco Souto e Fabio Bacca.

Dessa vez o caso é de um bovino infectado por morcegos hematófagos contaminados com o vírus.

Outra vez os técnicos do Indea orientam aos produtores que vacinem os rebanhos contra a raiva.

Também deve ser evitada a manipulação de animais doentes ou com suspeita de terem contraído a doença.

 

============================================= 

ATUALIZADA DIA 18 SET 2019

 

NOVA NAZARÉ – Mais dois animais foram diagnosticados com raiva no município de Nova Nazaré. 

Trata-se de uma vaca de 5 anos e um potrinho de seis meses na mesma propriedade na região do Maragatos. Agora, já são dois focos de raiva em Nova Nazaré, um anterior em um ovino e agora, dois casos em bovino e equino.

Também são dois casos de raiva em Ribeirão Cascalheira, um caso em Bom Jesus do Araguaia e outro em Água Boa.

A confirmação é do médico veterinário Francisco Souto do Indea, regional de Água Boa. Já temos de raiva em bovinos, equinos e ovinos. Diante do fato, o Indea recomenda a todos os pecuaristas que vacinem seus rebanhos contra a raiva para evitar um mal maior.

 

=================================== 

 

RIBEIRÃO CASCALHEIRA/NOVA NAZARÉ - Novos casos de raiva na região Araguaia. raiva b

A médica veterinária Melina Daud do Indea local confirmou um caso de raiva em Ribeirão Cascalheira. No último sábado, um equino macho com idade de 4 anos, passou por exame. O animal apresentava sintomas de falta de coordenação motora, paralisia na língua, dificuldades de engolir por 4 dias, antes de ser sacrificado. Deu positivo para raiva.

Em Nova Nazaré, um caso de raiva em ovino está confirmado pelo Indea. Mais uma vez, o Indea solicita que os pecuaristas vacinem seus rebanhos, façam o reforço com 30 dias nos primovacinados e comuniquem a vacinação junto ao Indea.

Saiba mais sobre a raiva

Raiva dos Herbívoros é uma doença causada por um vírus da família Rhabdoviridae, gênero Lyssavirus, sempre fatal. Acomete todos os mamíferos e silvestres, inclusive o homem!
Na zona rural e na periferia da zona urbana o principal transmissor da raiva é o morcego hematófago (vampiro); o morcego doente elimina o vírus pela saliva quando alimenta-se do sangue dos animais.
Ocorre em várias regiões do Estado de Mato Grosso, causando prejuízos para a pecuária Matogrossense e também é um grave problema de saúde pública.
Principais sintomas da Raiva no animal:
- apatia; 
- isolamento do restante do rebanho; 
- agressividade; 
- andar cambaleante; 
- opacidade de córnea; 
- dificuldade para engolir líquidos; 
- dificuldade de defecar (fezes ressecadas); 
- paralisia dos membros;
 
Controle da Raiva dos Herbívoros:
Vacinação 
- Vacinar todo o rebanho com vacina INATIVADA; 
- Vacinar somente animais acima de 3 meses; 
- Revacinar os primovacinados 30 dias após a primeira dose. 
 
Controle populacional do morcego hematófago:
- A captura de morcegos hematófagos nas propriedades é realizada gratuitamente pelo Médico Veterinário do INDEA/MT; 
- Vigilância (atendimento de casos suspeitos). 
 
Orientações:
Comunique sua vacinação contra Raiva no escritório do Indea
Na suspeita de um animal acometido pela doença: 
- Isolar o animal do restante do rebanho; 
- Nunca manipular o animal; 
- Não consumir a carne do animal; 
- Procurar imediatamente um escritório do Indea do seu município; 
- No caso de mordedura no homem ou contato com animais suspeitos; 
- Lavar com água e sabão o ferimento. 
- Procurar a Secretaria Municipal de Saúde. 
- Comunicar ao Indea do seu município.