0
0
0
s2sdefault

CUIABÁ - Os gastos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) com folha de pagamento mais que quintuplicaram nos últimos dez anos, saltando de R$ 27,6 milhões em 2010 para R$ 142,8 milhões em 2019.

O “salto” se justifica pelos supersalários pagos a boa parte dos servidores, conforme os dados constantes no Portal da Transparência. Mesmo com a reorganização, os valores continuam a ser pagos.

Um exemplo é de uma recepcionista da empresa, que recebe R$ 12.133,45. Outra servidora, que atua como auxiliar de escritório, tem salário de R$ 14.742,77, mais de 10 vezes o valor do salário praticado no mercado.

Há também um servidor que atua como motorista e recebe R$ 13.648,47 de remuneração. Outro supersalário é de um vigia da Empaer, que ganha R$ 11.668,38 por mês.

 A média salarial (total da folha de pagamento versus a quantidade de servidores) da Empaer é de R$ 12,4 mil por servidor.

Os dados consultados no Portal Transparência também apontaram que quase a totalidade dos recursos gastos pela Empaer nos últimos 10 anos foram destinados a pagar salários.

Dos R$ 819 milhões liquidados pela Empaer de 2010 a 2019, R$ 756 milhões foram usados para a folha de pagamento de servidores.

Além disso, de todo esse montante, apenas 0,7% (R$ 5,9 milhões) foram destinados a investimentos na atividade fim da Empaer, que é responsável por levar tecnologia e extensão para o desenvolvimento sustentável do meio rural. Secretaria Adjunta de Comunicação (Secom)

Veja Também