• Anuncie
  • Brasil Escolar

0
0
0
s2sdefault

CANARANA - A Defensoria Pública de Mato Grosso reverteu a prisão ilegal de Izaumi Almeida de Lima em Diamantino por força de mandado expedido pela vara criminal da Comarca de Primavera do Leste.

Gediel Almeida de Lima, irmão de Izaumi, foi preso em flagrante no dia 8 de março de 2015 e respondeu a uma ação penal em Canarana, identificando-se como Izaumi e utilizando a certidão de nascimento do irmão. Gediel, que usou o nome do irmão Izaumi, foi condenado pela prática dos crimes de roubo majorado, furto qualificado e embriaguez na condução de veículo automotor, com pena inicial de dez anos.

Em grau recursal, a pena foi reduzida para 7. O presidiário foi transferido para a Penitenciária Regional Major Zuzi de Água Boa em fevereiro de 2016 e no dia 12 de dezembro daquele ano, progrediu para o regime aberto. Só que ele não cumpriu mais a pena. Por causa disso, o juiz considerou caso de fuga, decretou a regressão cautelar do regime para o semiaberto e determinou a expedição do mandado de prisão, o que ocorreu no dia 22 de outubro de 2018.

O mandado de prisão foi cumprido no dia 1° de janeiro desse ano (2019) no município de Alto Paraguai, quando o verdadeiro Izaumi (e não Gediel) foi preso. Com a prisão do inocente, familiares de Izaumi procuraram a Defensoria Pública informando que ele era portador de epilepsia e que nunca teria saído da cidade de Alto Paraguai. Portanto, seria fisicamente impossível que tivesse cometido crimes em Canarana.

Com o auxílio da Defensoria Pública de Canarana, a ação penal foi desarquivada e, após ter acesso à gravação da audiência de instrução em que o “suposto Izaumi” foi interrogado, o defensor público Moacir Gonçalves Neto visitou a Cadeia Pública de Diamantino. Ele mesmo constatou que a pessoa que respondeu à ação penal em Canarana não era a mesma que estava presa em Diamantino. O criminoso usou o nome do irmão. Dessa forma, o inocente deixou a penitenciária.

Veja Também