Água Boa - MT (99,7 FM)

Laranjinha Recanto do Laranjinha
Laranjinha

Ouça Agora!

(66) 99652-7007

Querência - MT (97,9 FM)

Myke Alexandre Canto da Terra
Myke Alexandre

Ouça Agora!

(66) 98438-0051

Ribeirão Cascalheira - MT (103,1 FM)

Ramos Reino Encantado
Ramos

Ouça Agora!

(66) 997237390



Meio Ambiente

tartarugas pmmtA Polícia Militar de Mato Grosso, em parceria com o projeto "Amigos da Natureza", já realizou a soltura de 200 mil Tartarugas-da-Amazônia nas regiões do Araguaia. A ação conta com o apoio do Ministério Público, prefeituras e colônias de pescadores em prol da preservação e repovoamento da espécie ameaçada de extinção.

Coordenado pelo biólogo Francisco de Assis Ribeiro de Souza, o projeto foi criado em 2001, no município de Luciara, e passou pelas cidades de Santa Terezinha, Confresa, Porto Alegre do Norte e, desde 2015, está em São Félix do Araguaia.

A sede do projeto fica no quartel da 2ª Companhia de Polícia Militar de São Félix do Araguaia, onde, durante o período de gestação dos filhotes, os ovos são cuidados por policiais militares e integrantes do projeto em uma praia artificial.

Tenente Juliano Rebelo, comandante da unidade da PM em São Felix do Araguaia, explica que os ovos dos animais são recolhidos nos leitos dos rios e colocados no berçário, permitindo o nascimento seguro e controlado dos filhotes. "Nós damos uma sobrevida ao animal. Nesse período (nascimento), é quando as tartarugas mais morrem. Nós cuidamos e monitoramos os filhotes no dia a dia, para que possam nascer seguros”, explica o militar.
A importante atuação do projeto no período de recolhimento dos ovos e incubação (que varia de 45 e 60 dias), o trabalho de manejo e soltura realizado pela PM e parceiros, aumenta em 60% o índice de sobrevivência dos filhotes, que são soltos em locais seguros, onde há abrigo, esconderijo e alimentação – devido às ações de predadores e às altas temperaturas, nessa etapa apenas 4% dos filhotes sobrevivem.

Além do repovoamento das tartarugas, o projeto promove ações de preservação, como a coleta de lixo e resíduos em pontos turísticos da cidade, o repovoamento de peixes nativos da bacia hidrográfica do Araguaia, além da recuperação de nascentes e matas ciliares.

“Vale destacar a importante participação social da PM nesses projetos de preservação ambiental, através do 10º Comando Regional, atuando e colaborando diretamente em prol do nosso meio ambiente", conta o comandante do 10º CR, tenente-coronel Rodrigues.

A Tartaruga-da-Amazônia está ameaçada de extinção devido à apreciação da sua carne. Rica em proteína, ela é considerada um prato exótico e saboroso na região. Sua gordura também é bastante utilizada na produção de cosméticos e na indústria farmacêutica. (Ascom)

sema mtA Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) publicou nesta sexta-feira (19.11) o edital de processo seletivo simplificado para a contratação temporária de 25 profissionais de diversas áreas de atuação de nível superior. O salário ofertado é de R$ 7.143,22 para todos os cargos, exceto para a função de desenvolvedor, cujo valor é de R$ 10 mil.

As inscrições podem ser realizadas entre as 10h do dia 6 de dezembro, até as 18h do dia 14 de dezembro de 2021 (horário de Brasília), exclusivamente pela internet, https://www.cebraspe.org.br/concursos/sema_mt_21_pss. A taxa de inscrição é R$ 71.

As vagas são para os perfis de administrador (1), advogado (1), agrônomo (1), biólogo (3), desenvolvedor (5), engenheiro civil (2), engenheiro florestal (4), engenheiro sanitarista (4), geólogo (4).

A seleção será feita por pontuação de acordo com a experiência profissional, análise curricular e de títulos, comprovados no ato da inscrição, sem a aplicação de provas.

O prazo do contrato temporário será de 24 meses, contados a partir da data de contratação, podendo ser prorrogado uma vez pelo mesmo período. Haverá cadastro de reserva de até três vezes o número de vagas. A lotação dos profissionais será no município de Cuiabá, mas é possível o deslocamento dentro do Estado de Mato Grosso.

O processo seletivo é realizado pelo pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). Os profissionais contratados irão fortalecer a atuação da secretaria em diversos setores, auxiliar nas análises dos processos e na eficiência da prestação de serviços ambientais.

Acesse aqui a íntega do edital publicado no Diário Oficial: https://www.iomat.mt.gov.br/portal/visualizacoes/html/16562/#e

silagem ensacada interna empaerA Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), aproveita o inicio do período das chuvas para orientar pequenos produtores sobre a silagem ensacada. O método garante alimento de qualidade para o gado independentemente do período ser de estiagem ou não. Tem ainda a vantagem de ser uma opção de baixo custo e pode ser transportado para diferentes locais, além de permitir ser uma fonte de renda para pecuaristas que queiram vender o excedente da produção.

Outra característica é a durabilidade de 18 a 24 meses, considerado um período longo e que permite fornecer um volume maior ao rebanho durante todo o período seco do ano com certa tranquilidade.

Com essa preocupação que o produtor, Sebastião da Costa da Danassão, 57 anos, está ensacando a produção de um hectare de capiaçu, na sua propriedade em Guarantã do Norte (a 715 km de Cuiabá). Com a orientação técnica está fazendo o corte na hora certa e a sua meta são 500 sacos pesando entre 23 e 25 quilos. “É um trabalho pesado que divido com minha esposa e ensacamos a mão. Temos uma criação de gado leiteiro e vendemos na região. Com a assistência técnica da Empaer será a primeira vez que vamos utilizar essa técnica com o capiaçu. A última estiagem foi muito difícil e caro garantir o alimento da criação”.

Sebastião lembrou que o principal problema foi encontrar os sacos na região. Comprou pela internet, mas está tendo problema na entrega. “É mais um aprendizado e, por ser a primeira experiência e dando certo, na segunda vez vou garantir a embalagem antes de iniciar o processo”, destaca ele.

O técnico da Empaer, Antonio Paulo Gedoz Barros que vem acompanhando o produtor Sebastião, explica que na produção pecuária há dois períodos: das águas, onde a oferta de forragem é abundante e os animais são alimentados quase que exclusivamente a pasto; e o período da seca, onde a disponibilidade de forragem através das pastagens é bastante reduzida.

Desta forma, de acordo com Antônio, alternativas para tratar dos animais na época seca precisam ser colocadas em prática para garantir o ganho de peso dos animais ou pelo menos sua manutenção. “A silagem é o processo de fermentação controlada de uma forrageira que foi previamente triturada, passou por compactação e armazenada na ausência de oxigênio em estruturas chamadas de silos. Sua produção é relativamente fácil e pode ser feita pelo próprio produtor, o que reduz os custos de produção”.

O técnico destaca que o processo de silagem do capiaçu tem uma particularidade positiva se comparado com o do milho. “Possui uma janela de corte maior dos 90 aos 120 dias. Já o milho teria que ser feito de uma vez, caso contrário, passa do ponto”. (Ascom)

BRASÍLIA - Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apresentou nesta quinta-feira (17), pela primeira vez, a previsão climática com tendências de chuvas e temperaturas para os próximos seis meses. A previsão, que inicia no final de novembro de 2021 e se estende até abril de 2022, é baseada na observação de dados passados e no comportamento da atmosfera, sendo diferencial para a tomada de decisão do produtor rural, para o planejamento da geração hídrica e a viabilidade do transporte nas principais bacias hidrográficas do país.

Os dados foram apresentados durante live de comemoração dos 112 anos do Inmet. "A previsão de seis meses dará ao produtor rural a possibilidade de se planejar, em termos de meteorologia, para todo um ciclo de safra. Isso pode garantir maior produtividade desde que se faça uma gestão climática da produção rural", explica o diretor do Inmet, Miguel Ivan Lacerda.

O secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo, disse que a previsão climática antecipada é fundamental para a agricultura, para a defesa civil e para toda a sociedade. “O que se está lançando hoje aqui é o sonho do agro, que se sente hoje absolutamente contemplado”, comentou.

"As mudanças do clima estão aí e precisamos aprimorar os nossos avanços em previsões climáticas e meteorológicas para poder suportar o agronegócio brasileiro”, completou o secretário adjunto da SDI, Cléber Soares.

Há mais de dez anos o Inmet já fornece a previsão climática de 3 meses com o Prognóstico Climático Trimestral.

Previsão de Chuva para os próximos 6 meses

Novembro tem se mostrado um mês com muita chuva na faixa centro-norte do Brasil e, o resultado do modelo de previsão do Inmet indica que até o final do mês esse padrão será mantido. Além disso, são previstas chuvas abaixo da média para a Região Sul.

A previsão para dezembro indica chuvas abaixo da média (entre 10 e 50mm) no Rio Grande do Sul, oeste de Santa Catarina, norte de Minas Gerais, Acre, sudoeste do Amazonas e em áreas do Matopiba (região que abrange áreas dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Nas demais áreas, as chuvas deverão ficar próximas ou ligeiramente acima da média.

Em janeiro são previstas chuvas abaixo da média em Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, Espírito Santo e no centro do Mato Grosso do Sul, sul e leste de Tocantins, sul do Piauí e na Bahia (exceto no leste do Estado). A Região Sul poderá ter chuvas ligeiramente acima da média, assim como o Estado de São Paulo e a faixa norte do Brasil.

Fevereiro poderá ter chuvas irregulares em praticamente toda a região central e o Sul do País. Destaque para áreas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina onde o modelo indica, novamente, chuvas abaixo da climatologia (média).

No início do Outono (meses de março e abril), o modelo de previsão climática do Inmet indica chuvas abaixo da média na Região Sul e também no Mato Grosso do Sul e no sul do Mato Grosso. Em março de 2022, a tendência é de chuva acima da média no Amazonas, Roraima, Pará, Piauí e centro e sul do Ceará. Também há uma tendência de chuva acima da média no sul de Minas Gerais e norte de São Paulo, região de reservatórios importantes para o setor elétrico.

Temperatura Média nos próximos 6 meses

De modo geral, as temperaturas deverão ficar acima da média (até 1°C) na área central do Brasil entre os meses de dezembro de 2021 e fevereiro de 2022. Na Região Sul, as temperaturas deverão ficar próximas à média durante esse mesmo período.

Os resultados do modelo do Inmet para os meses de março e abril de 2022 indicam temperaturas de normal a acima da média para praticamente toda a Região Sul. Esse pode ser um sinal de que ainda não haja formação de geadas no início do outono.

Essas previsões são atualizadas mensalmente e que há um aprimoramento contínuo dos resultados.

História do Inmet

O Inmet completou 112 anos nesta quinta-feira (18). O Instituto foi criado pelo então presidente Nilo Peçanha, em 18 de novembro de 1909, com o nome de Diretoria de Meteorologia e Astronomia, vinculado ao Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio.

Ao longo de sua trajetória, o Instituto passou por várias denominações até chegar a Instituto Nacional de Meteorologia, órgão da administração direta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Atualmente, o Instituto conta com uma rede própria de mais de 750 estações automáticas e convencionais, sendo o principal órgão do país na cobertura de estações meteorológicas. (Ascom)

operacao amazonia foto por sema mtEquipes de fiscalização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) aplicaram R$ 44,9 milhões em multas por desmatamento ilegal, descumprimento de embargo, uso irregular do fogo, e extração ilegal de madeira, em mais uma etapa da Operação Amazônia contra crimes ambientais.

A ação foi realizada em parceria com o Grupo de Operação Especiais (GOE) e a Polícia Judiciária Civil (PJC). Foram fiscalizadas 13 áreas em seis dias, entre 27 de outubro e 02 de novembro, nas cidades de Querência, Araguaiana, e Bom Jesus do Araguaia. Foi identificado o uso do "correntão" no desmatamento ilegal.

Durante a operação, foram apreendidas 10 máquinas, sendo três tratores pneu, dois tratores esteira, e cinco implementos agrícolas. A apreensão de máquinas usadas no desmatamento ilegal serve para parar o dano ambiental imediatamente e coibir a ação criminosa.
As infrações foram identificadas por meio do monitoramento por satélites Planet, que mostra em tempo real a mudança de vegetação em todo o território de Mato Grosso. Com isso, a ação das equipes em campo é precisa, direto onde está ocorrendo o desmatamento ilegal.

Detalhes das autuações

Em Bom Jesus do Araguaia, uma fazenda recebeu a maior multa, de R$40 milhões, por desmate de uma área de 200 hectares de preservação permanente, e pelo uso irregular do fogo em 8 mil hectares, além de extração irregular de madeira sem licença em 200 hectares. Foi apreendido em flagrante um trator esteira, um trator pneu, um implemento agrícola, e 108 cabeças de gado.

Uma fazenda foi multada na região de Araguaiana por desmate de 560 hectares fora de reserva legal, no Bioma Cerrado, e execução de atividade sem licença. A multa aplicada foi de R $700 mil, com a apreensão de dois tratores pneu e um implemento agrícola.

Três propriedades na cidade de Querência foram multadas em R $1 milhão pelo uso irregular do fogo em 125 hectares. Foram apreendidos um trator esteira e três implementos. operacao amazonia foto por sema mt 2

Em nove propriedades de Querência a multa soma R$ 3,2 milhões por desmate de área de especial preservação, uso irregular do fogo em área de preservação permanente, descumprimento de embargo - promoveu atividade em uma área na qual já foi identificada ação ilegal anteriormente e estava proibida para uso - e extração ilegal de madeira.
Operação Amazônia

O Estado aplica multas, embarga áreas e apreende equipamentos e maquinários utilizados na ação criminosa, descapitalizando os infratores para evitar a reincidência. Atualmente, em parceria com o Ministério Público do Estado (MPE) e Ministério Público Federal (MPF), quem desmata ilegalmente responde também nas esferas criminal e civil, além de processo administrativo.

Integram a iniciativa as Secretarias de Estado de Meio Ambiente, de Segurança Pública, o Exército Brasileiro, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

Denúncias

Crimes ambientais devem ser denunciadas por meio da Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-065-3838, pelo WhatsApp (65) 99321-9997, nas unidades regionais do órgão ambiental, ou ainda, pelo aplicativo MT Cidadão. (Ascom)

Anualmente, a Statkraft, empresa líder em energia hidrelétrica internacionalmente e a maior geradora de energia renovável da Europa, desenvolve um relatório internacional, que está em sua 6ª edição, o Statkraft Baixas Emissões – Cenário 2021 (em inglês Low Emissions Scenario).

O estudo destaca as tendências do mercado global de Energia e a análise é usada como base para os investimentos futuros da Statkraft. O relatório deste ano indica quatro tendências para o mercado de Energia, com destaque para a importância da eletrificação para a redução das emissões, e a necessidade de acelerar drasticamente a transição energética com o objetivo de diminuir o aquecimento global.

“O mundo foi chamado à luta, a trabalhar unido para diminuir o aquecimento de nosso planeta. É a missão de uma vida, e que irá definir a nossa geração. Com o mundo reabrindo lentamente, as emissões também estão retornando aos níveis pré-pandêmico, reforçando nossa crença de que o único caminho para a redução de 1,5 grau é por meio da transição energética”, enfatiza Christian Rynning-Tønnesen, CEO Global da Statkraft.

Investimentos verdes: o crescimento da energia renovável é irrefreável

  • Os investimentos verdes aumentaram em 2020, apesar da desaceleração econômica causada pela pandemia. Os investimentos em energia renovável foram 7% maiores em 2020 do que em 2019.
  • A energia renovável já é, na maioria dos lugares, mais barata do que os combustíveis fósseis ao investir em nova capacidade. As tecnologias solar e eólica superam as atuais usinas de carvão e gás em cada vez mais lugares.
  • Os custos estão em tendência de declínio. Em geral, por um euro investido em energia solar fotovoltaica e eólica hoje se obtém cerca de quatro vezes a produção em comparação há dez anos.
  • A capacidade de energia solar crescerá por um fator de 21, e a energia eólica por um fator de 7 até 2050. As energias solar e eólica fornecerão cerca de dois terços do sistema de energia global.
  • A demanda de energia mais do que dobrará até 2050 e todo este crescimento será coberto por energia renovável. A energia renovável fornecerá, aproximadamente, 80% do sistema de energia global em 2050.

Eletrificação: a eletrificação reduz as emissões local e globalmente

  • Eletrificação é a principal ferramenta para reduzir as emissões de CO². A participação da eletricidade na demanda energética global final mais que dobrará, atingindo 47% em 2050.
  • Usar formas mais eficientes de energia torna a energia mais ecológica. A eletricidade é mais eficaz do que as fontes de energia fóssil na maioria das aplicações. Por exemplo, para aquecer uma casa, uma bomba de calor precisa de apenas 1/3 da energia em comparação a uma caldeira a gás. O mesmo vale para veículos elétricos. Isso requer aproximadamente 1/3 da energia que os veículos fósseis requerem para percorrer a mesma distância.
  • As emissões serão eliminadas se a eletricidade for proveniente de fontes renováveis de energia. A produção de eletricidade a partir de um setor de Energia cada vez mais renovável é a chave para a descarbonização, no Cenário de Baixas Emissões.
  • O ano de 2020 foi um bom ano para veículos elétricos. As vendas globais de carros elétricos a bateria aumentaram 40%, mesmo que as vendas totais de carros tenham caído.
  • O cenário de baixas emissões estima que quase todos os novos veículos mais leves serão movidos a bateria, enquanto cerca de metade dos novos veículos mais pesados funcionarão com bateria ou hidrogênio em 2050, em todo o mundo.

 De 2 graus para 1,5 grau: necessidade de aumentar drasticamente a transição

 O efeito combinado de menores custos de energia renovável e políticas climáticas mais fortes resultará em emissões de carbono seguindo um caminho de 2 graus. Entretanto, parar o aquecimento global em 1,5 grau exigirá um aumento substancial nas ambições políticas e no ritmo da ação global. 

  • No ano de 2020 vimos um aumento recorde de energia solar e eólica, porém, precisamos instalar mais do que o dobro por ano até 2050 para limitar o aquecimento global a 2 graus.

 Hidrogênio verde: fortalecendo a corrida para chegar a zero

  • O hidrogênio verde é necessário para limitar as mudanças climáticas aos níveis estabelecidos no Acordo de Paris.
  • Os mercados regionais de hidrogênio e o armazenamento sazonal tornam-se cada vez mais atraentes com a maior variação do preço da energia.
  • O hidrogênio terá um papel significativo no sistema de energia de 2050. Em um dia de vento, eletrolisadores movidos a energia eólica podem produzir toneladas de hidrogênio verde. Eletrolisadores e armazenadores combinados podem fornecer à indústria um fluxo constante de hidrogênio verde.
  • Cerca de 10% da demanda global de energia virá da produção de hidrogênio verde em 2050 e mais de 20% da Europa, no Cenário de Baixas Emissões.
  • Os custos dos eletrolisadores caíram 60% nos últimos cinco anos. Espera-se que esse declínio continue devido ao aumento da automação, padronização e melhorias tecnológicas.
  • Esperamos que os custos de investimento para a produção de hidrogênio verde caiam mais 60% até 2050. Os custos decrescentes da energia renovável e dos eletrolisadores serão um caso de negócios cada vez mais atraentes para o hidrogênio verde.
  • A maior parte do hidrogênio verde irá para a indústria: para substituir a matéria-prima de hidrogênio existente e remover emissões em indústrias nas quais a eletrificação direta é impossível ou cara, por exemplo, na indústria do aço.

SOBRE A STATKRAFT  

Com suas ações pautadas pela ética e transparência, a Statkraft é uma empresa líder em energia hidrelétrica internacionalmente, sendo considerada a maior geradora de energia renovável da Europa. A Statkraft é uma empresa global atuando no mercado de Energia e conta com mais de 4.500 colaboradores em 18 países.  No Brasil, o grupo controla 18 ativos de geração renovável, com cerca de 450 MW de potência instalada.  

A empresa também é um dos principais players do setor na Comercialização de Energia. No mundo, essas operações são executadas em mais de dez países. São mais de 800 profissionais envolvidos e mais de 1.100.000 contratos por ano. Prioriza as relações de longo prazo com seus clientes, em busca de soluções customizadas para as suas necessidades de energia, além de facilitar o financiamento de energia renovável e de projetos, inclusive no Brasil. (Ascom)

Página 6 de 64

Veja mais notícias: