Água Boa - MT,

Sicredi dobra liberação de recursos para Economia Verde

BRASIL - Na semana em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, o Sicredi ressalta os impactos positivos de sua atuação, por meio de uma agenda de ações contra a mudança global do clima. Uma delas é o fomento à Economia Verde, cujo valor dos créditos concedidos dobrou no período de dois anos, ao passar de R$ 25 bilhões em 2021 para R$ 51 bilhões em 2023, em todo o País. O valor representa 24% da carteira total do Sicredi. A perspectiva é que esse volume cresça ano a ano, em consequência da maior conscientização ambiental por parte das pessoas, das empresas e da implantação de políticas públicas.

Economia Verde é uma classificação para produtos e serviços financeiros que possibilitam a melhoria do bem-estar da humanidade e da igualdade social, ao mesmo tempo que em reduzem os riscos ambientais e a escassez ecológica. Seguem a metodologia da taxonomia verde (classificação das atividades econômicas sob a ótica socioambiental e climática) desenvolvida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Tem como principais pilares a baixa emissão de carbono, a eficiência no uso dos recursos e a inclusão social.

As soluções financeiras incluem, por exemplo, o financiamento de atividades como geração de energia solar, sistemas de produção baseados em energias renováveis, gestão de resíduos, agricultura orgânica e tratamento de água. A solução crédito está disponível para a produção agropecuária com características sustentáveis, como a agricultura de baixa emissão de carbono. 

Desde o ano passado, os recursos destinados à Economia Verde passaram a incluir linhas de produtos para Educação e Acessibilidade, além da inserção de duas novas classificações: o crédito para micro, pequenas e médias empresas lideradas por Mulheres Empreendedoras, e o crédito para Mulheres no Agronegócio. Considerando as novas informações, em 2023 o Sicredi registrou alguns destaques na carteira de crédito para Economia Verde, sendo R$ 14,3 bilhões para a Produção Rural Familiar, R$ 8,3 bilhões para a Agricultura Baixo Carbono, R$ 7,8 bilhões para Mulheres Empreendedoras e R$ 5,8 bilhões para Energia Renovável.

Foi justamente pela conscientização ambiental e o desejo de ter uma atividade mais sustentável que o produtor de soja e milho e associado do Sicredi em Santa Carmem (MT) desde 2010, Alan Mateus Faita Welter, 33 anos, passou a usar o sistema de plantio direto no cultivo da soja. Segundo ele, desde que adotaram esse método, há 10 anos, ficou rara a entrada de máquinas de grade, arador e nivelador na área, o que ocorre apenas quando é muito necessário. No plantio direto, após a colheita do milho, a palha é deixada no solo. Ela preserva a terra, conserva a umidade e consequentemente a temperatura. E depois, no cultivo da soja, esta germina com menos vulnerabilidade e se desenvolve melhor, devido ao controle de calor e umidade no solo.

“Sem contar que a palha preserva as condições do solo e quando muito, precisamos fazer a correção com calcário (calagem), adubação e já podemos plantar novamente. Às vezes, terminamos uma cultura e começamos outra sem mexer no solo”, afirma Welter. No desenvolvimento da atividade, o produtor conta que tem no Sicredi uma importante parceria. “Tenho crédito rural, crédito geral, seguro de vida, seguro auto, previdência e investimentos. Praticamente só me relaciono com a cooperativa”, conta ele mencionando também o trabalho social que a cooperativa desenvolve na comunidade.

Já no ambiente urbano, a contribuição com o meio ambiente vem da Cooperativa de Produção de Material Reciclável de Tangará da Serra/MT (Cooperatan). Associada do Sicredi desde 2018, a Coopertan buscou a instituição financeira para aquisição de caminhões para a coleta do material, que é feita de porta em porta. O primeiro foi comprado em 2018, um tempo depois veio o segundo e logo em seguida uma cota de consórcio foi contemplada, e ampliou para três o número de caminhões na atividade. A cooperativa também teve apoio financeiro do Sicredi para compra de um veículo utilitário e implantação de energia solar, instalada no telhado do barracão onde é armazenado o material que será separado e vendido.

A cooperativa presta serviço de coleta seletiva à prefeitura e por mês recolhe de 200 a 250 toneladas de material reciclável. O trabalho é feito por 60 catadores, sendo cerca de 40 mulheres, que fazem a triagem, a separação, a prensagem do material que é comercializado posteriormente. “São pessoas que tiram deste trabalho o sustento de suas famílias. O que para muitos é lixo, para nós é renda, e oportunidade de oferecer melhores condições para nossas famílias. Além disso, nosso trabalho contribui diretamente com o meio ambiente, reduzindo a quantidade de resíduos que vai para o aterro sanitário”, afirma Silvana Regina dos Santos, educadora ambiental da Coopertan.

Semente plantada

Já entre as cooperativas do Sicredi, as iniciativas vão de agências sustentáveis, que seguem o conceito de lixo zero, ao plantio de árvores próximo a rios e córregos. O conceito de agência sustentável foi empregado pela cooperativa Sicredi Ouro Verde MT na construção e operação de uma unidade em Cuiabá, inaugurada em março deste ano. Localizada no bairro Tijucal, a sustentabilidade foi aplicada ao projeto desde o começo. Foi construída utilizando uma estrutura a seco feita com materiais industrializados de alta qualidade que dispensou o consumo de água na execução. A construção, no sistema de steel frame, resultou em 30% mais isolamento térmico e acústico – se comparado a obras de alvenaria -. A geração de energia é por fonte solar e na área externa, o piso é 100% drenante, permitindo a permeabilidade da água da chuva. Além disso, toda água consumida é reaproveitada.

Outra prática da agência é o zero lixo. Todo material produzido em sua operação é descartado de forma correta. Os recicláveis vão para cooperativas e empresas de reciclagem e os resíduos orgânicos são destinados à compostagem. A intenção é que mais agências sigam este modelo, contribuindo para reduzir os impactos da operação no meio ambiente.

Nascentes recuperadas

Já a cooperativa Sicredi Integração MT/AP/PA desenvolve, desde 2012, o projeto Recuperando Nascentes, que tem o objetivo de aumentar o volume de água nas nascentes dos rios, promover o equilíbrio ambiental e o uso sustentável dos recursos naturais, por meio do plantio de mudas. O projeto tem adesão dos colaboradores, associados e voluntários. Até maio deste ano foram realizadas 116 ações, com o plantio de mais de 138,4 mil mudas, que mobilizaram a participação de 8,1 mil pessoas.

Estratégia e Direcionadores

O Sicredi possui uma estratégia de desenvolvimento sustentável, orientada por três direcionadores de sustentabilidade: Relacionamento e Cooperativismo, Desenvolvimento Local e Soluções Responsáveis, que se conectam entre si e refletem na vida dos associados, das comunidades e consequentemente do planeta.

Considerando que o setor financeiro tem um papel fundamental na transição para uma economia de baixo carbono, a instituição financeira cooperativa está atenta às oportunidades para apoiar os associados e a sociedade neste desafio. Para tanto mantém o Programa de Ecoeficiência e Mudanças Climáticas, que visa contextualizar e conectar a temática dentro da Estratégia de Sustentabilidade, comunicando a evolução e identificando oportunidades de melhorias.

Integrante do Pacto Global das Nações Unidas (ONU), o Sicredi realizou a neutralização das emissões calculadas no seu Inventário de Gases de Efeito Estufa de 2022 e projetadas para o ano de 2023. Ao todo, foram neutralizadas 34.565 toneladas de carbono provenientes da operação de todas as sedes administrativas e agências, por meio de apoio a sete projetos de créditos de carbono de diferentes regiões do Brasil. Em 2023, a instituição financeira cooperativa seguiu investindo na utilização de energia elétrica renovável em suas instalações, evitando a emissão de 1.143,6 toneladas de CO2 equivalente na atmosfera.

FONTE: www.sicredi.com.br

======================================================================================

Sicredi: Associados com pendências podem renegociar débitos

BRASIL - 
Com o objetivo de incentivar a sustentabilidade financeira dos associados, o Sicredi realiza a campanha “Cooperação e Recuperação 2024”. A ação auxilia os associados que tiveram algum problema e não puderam cumprir seus compromissos financeiros a retomarem a saúde das finanças. Para isso, oferece condições especiais para renegociação de dívidas, cujos descontos aplicados são estabelecidos pelas cooperativas, e estão vigentes até o fim do mês.

A campanha é realizada por algumas cooperativas do Sicredi que atuam em Mato Grosso e atende associados com dívidas em atraso superior a 90 dias, seja em produtos de Crédito Comercial, Cartão de Crédito ou Conta Corrente, que podem se regularizar e reorganizar a vida financeira, pessoal ou do negócio. Para saber mais sobre a campanha e se sua cooperativa aderiu à ação, o associado pode fazer contato pelo Whatsapp (51) 3358 4770. Para as renegociações, ele pode seguir por esse canal digital ou se dirigir à sua agência.

“O País está em fase de recuperação econômica, com redução nas taxas de desemprego, mas ainda enfrenta altos preços, com custo de vida elevado. Diante do cenário, queremos apoiar nossos associados na reorganização das finanças. E é isso que estamos fazendo com essa campanha, pois o primeiro passo para uma vida financeira saudável é regularizar dívidas, para que a realização de novos objetivos se torne possível novamente”, afirma Fábio Antunes, gerente de Ciclo de Crédito do Sicredi.

De acordo com o Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas, divulgado pela Serasa, em março deste ano 72,89 milhões de brasileiros estavam inadimplentes, crescimento de 1,19% em relação ao mês anterior. Quando divididas em segmentos, 29,34% têm dívidas em bancos/cartão de crédito e 23% são com contas básicas como água, luz e gás.

A campanha “Cooperação e Recuperação” faz parte do movimento Fique no Verde, iniciado pela instituição financeira cooperativa no ano passado. Tem como objetivo auxiliar o associado na negociação de seus débitos, promovendo e incentivando a sustentabilidade financeira e uma relação saudável com o dinheiro. 

Como instituição financeira cooperativa, o Sicredi promove ações que visam a organização financeira dos associados e não associados. Está preocupada em implementar uma cultura de relacionamento saudável com o dinheiro e as relações de consumo. Um dos programas desenvolvidos junto à comunidade é o Cooperação na Ponta do Lápis, que busca levar conhecimento às pessoas que vivem nas regiões onde a instituição atua, atendendo necessidades de crianças, jovens e adultos na promoção da saúde financeira.

Confira Mais Notícias