Água Boa - MT,

Instituto Harpia: Defesa do Agronegócio e Valores Conservadores; veja vídeo

QUERÊNCIA - O Instituto Harpia, destacando-se como pioneiro na direita conservadora nacional, expande sua presença pelo Brasil, estando presente em 27 estados e estabelecido em cinco municípios do Mato Grosso. Sob a liderança de Daiane Kelm como presidente estadual, a instituição concentra esforços na defesa dos direitos dos agricultores, especialmente diante dos desafios da moratória da soja na região.

No estado, a preocupação central é a interpretação restritiva das regras de embargo por parte das tradings, impactando diretamente a comercialização dos grãos. Para enfrentar essas questões, o Instituto Harpia planeja formar uma comissão específica para o agronegócio, buscando apoio junto a parlamentares federais para melhor representar e resolver as dificuldades enfrentadas pelos agricultores locais.

Daiane Kelm enfatiza a missão da direita conservadora em preservar valores tradicionais como a família, a religiosidade e o patrimônio, fundamentais para a sociedade contemporânea. Ela critica iniciativas legislativas que, na visão do Instituto, ameaçam esses valores, como a proposta de retirada da Bíblia das escolas.

Para aqueles interessados em conhecer mais sobre o trabalho do Instituto Harpia, Daiane recomenda visitar o perfil no Instagram, onde detalhes das ações desenvolvidas estão disponíveis. Quanto à adesão ao instituto, o processo de associação segue padrões formais semelhantes aos de partidos políticos, visando à defesa dos interesses da população brasileira.

Dessa forma, o Instituto Harpia se consolida não apenas como uma entidade política, mas como um defensor ativo dos valores conservadores e dos direitos dos produtores rurais, buscando impactar positivamente o cenário político e social do país.

Confira Mais Notícias