Água Boa - MT,

Primeira Infância: Mês de Agosto celebra data e serve de alerta

A primeira infância é uma fase crucial no desenvolvimento humano, sendo reconhecida por especialistas como o período mais significativo para a formação de habilidades cognitivas, emocionais e sociais. Essa etapa compreende desde o nascimento até os seis anos de idade, em que o cérebro da criança passa por um processo extraordinário de crescimento e aprendizado. Justamente pela importância desse período, agosto foi escolhido como o Mês da Primeira Infância. A lei 14.617, que foi sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e publicada no Diário Oficial da União em 11 de julho, institui a data e reforça a importância de ações voltadas para essa parte da população.  

De acordo com a terapeuta materno-infantil Olívia Tani (@olivia_tani no Instagram), é primordial que os governos e a sociedade olhem com atenção para essa fase. “Investir na primeira infância é investir no futuro. E proteger um novo ser humano desde a gestação é proteger o tesouro da humanidade. Todos os esforços direcionados ao início da vida deixarão frutos para toda a vida adulta e para uma sociedade mais pacífica e equilibrada”, explica.  

Desde a concepção até os seis anos, o cérebro das crianças é altamente maleável e sensível ao ambiente, o que significa que as experiências vivenciadas nesse período têm um impacto profundo nas habilidades emocionais e intelectuais. Olívia explica que estudos científicos internacionais têm comprovado já há décadas que os primeiros anos de vida, contando desde a gestação, são o período que forma toda a base da estrutura de vida de um indivíduo nos aspectos físico, mental e emocional. “Por isso é essencial que pais e profissionais estejam preparados para cuidar dessa fase como um tesouro. Uma rejeição na gravidez ou um trauma vivido na primeira infância podem gerar prejuízos para o resto da vida da criança, se não tratados adequadamente” completa Olívia.   

Depois de ter ajudado mais de 7 mil famílias com os diversos desafios da maternidade, Olívia vê como sendo urgente a expansão de consciência dos pais e da sociedade acerca dos efeitos negativos que uma infância emocionalmente negligenciada deixa para toda a vida. Segundo a especialista, a família desempenha um papel crucial na primeira infância, e para que ela consiga ser o porto seguro dos filhos desde bebês, os pais precisariam receber suporte emocional durante e após a gestação, em primeiro lugar. “Não há como exigir dos pais que eles proporcionem educação e cuidado que eles mesmos nunca receberam enquanto filhos. Mesmo que haja orientação sobre a forma mais adequada de se acolher os filhos, as memórias inconscientes são muito mais fortes do que o entendimento racional do que é mais adequado, por isso muitos pais não conseguem mudar suas atitudes mesmo sabendo que estão prejudicando as crianças”, afirma.  

Segundo a especialista, agora pode ser a oportunidade para que pais e profissionais se unam em prol do bem maior da humanidade, pois protegendo uma vida desde que foi concebida e esta tendo a chance de ser gestada em um ambiente emocionalmente tranquilo e equilibrado resultará, ao final, em uma sociedade mais tranquila e equilibrada em todos os aspectos. “A sociedade mais pacífica que todos desejam começa em cuidar de sua semente. Alguns países já acordaram para isso e agora o Brasil poderá começar a plantar novas sementes de esperança.” - finaliza a terapeuta. 

Quem é Olivia Tani?

 

Olívia Tani é mãe de duas crianças, terapeuta holística materno infantil e ajuda mães que não encontraram nos tratamentos “convencionais” as melhorias que buscavam para as dificuldades dos filhos. Enfrentou muitas dificuldades no puerpério do primeiro filho. E, após o nascimento do segundo, o primogênito teve uma mudança brusca de comportamento.

Para enfrentar as dificuldades com a maternidade, ela foi em busca de estudos e terapias. E foi fora do Brasil que encontrou a solução que mais fez sentido, de olhar para os filhos desde a sua origem.

 O conhecimento que ela divulga hoje tem embasamento científico, porém ainda é pouco conhecido no Brasil. Por ter obtido os resultados que buscava de forma rápida e surpreendente, Olívia sentiu que sua missão no mundo era propagar esse conhecimento para outras mães que enfrentam tantos obstáculos na maternidade. Já são mais de 7 mil mães ajudadas desde 2016 e hoje conduz uma comunidade de centenas de mães que aprendem várias terapias para utilizarem no cuidado das diversas dificuldades dos filhos atuando desde as memórias intra-uterinas.

Olívia é terapeuta holística com especialização em Psicologia Pré e Peri Natal, única brasileira a integrar a turma de 2018 do curso Pre Natal, Birth and Attachment Psychology (Psicologia Pré-Natal, do Nascimento e Vínculo) com Myrna Martin, Elsa Asher e Chanti Smith, nos Estados Unidos. E associou este conhecimento à constelação familiar, terapia floral e Thetahealing ® (Ascom)

Confira Mais Notícias