Água Boa - MT,
Dr. Valmon confirma mais uma prisão por morte de jovem - Veja vídeo

Dr. Valmon confirma mais uma prisão por morte de jovem - Veja vídeo

Atualizada 26 Fev 24

ÁGUA BOA - O quinto e último alvo da Operação Tribunal Paralelo, deflagrada pela Delegacia de Cocalinho, foi preso pela Polícia Civil. os suspeitos são apontados como autores do homicídio de uma jovem no município de Cocalinho. Ele teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil, nesta quarta-feira (28.02), em Novo São Joaquim. O crime ocorreu no dia 08 de fevereiro no bairro Alto Cocalinho.

O suspeito de 21 anos foi localizado em ação realizada pelos policiais da Delegacia de Novo São Joaquim em frente uma residência no município. Ao perceber a presença dos policiais, o suspeito tentou empreender fuga, porém foi detido pela equipe de investigadores.

A Operação Tribunal Paralelo foi deflagrada no sábado (24.02) para cumprimento de 10 ordens judiciais, sendo cinco mandados de busca e apreensão, quatro de prisões temporárias e um de internação provisória de uma adolescente. O grupo investigado responde pelos crimes de homicídio qualificado, tortura, corrupção de menores e por integrarem organização criminosa.

A Delegacia de Cocalinho apura outras mortes e desaparecimentos de pessoas no município, como o de Diogo Rosendo de Souza, que foi visto com parte dos criminosos investigados em 11 de novembro do ano passado e depois disso, não retornou mais para casa. Neste caso, três pessoas já foram presas temporariamente e diligências são realizadas para a localização dos restos mortais da vítima.

Execução:

Vitória Régia Pereira de Santana, de 21 anos, foi executada com três disparos de arma de fogo, após ser atraída até o local dos fatos para fazer consumo de substância entorpecente.

Duas semanas antes de ser morta, Vitória havia procurou a Delegacia de Cocalinho buscando auxílio, pois já tinha sofrido diversos castigos físicos (salves) de integrantes de uma facção criminosa na cidade. Cansada das lesões sofridas e com a morte ‘decretada’ pelo grupo criminoso, Vitória resolveu relatar na delegacia quem seriam os responsáveis pelos castigos e por sua execução.

Diante da gravidade do caso e ciente de que as ameaças iriam se concretizar, a equipe policial encaminhou a vítima para exames. Na sequência, com apoio da área de assistência social do município, foi obtida uma passagem para retirar a vítima da cidade e Vitória foi embarcada em ônibus para outro município.

No dia 08 de fevereiro, a Polícia Civil foi comunicada sobre a execução da jovem.
VEJA VÍDEO:



=======================================================

Dr. Valmon relata trabalho da PJC contra Tribunal Paralelo em Cocalinho - veja vídeo

Atualizada 26 Fev 24

ÁGUA BOA - O Delegado Regional de Polícia, Dr. Valmon Pereira da Silva explica que a PJC segue combatendo o Tribunal Paralelo instalado em Cocalinho.

Dois crimes estão praticamente solucionados: as mortes de Vitória Régia e Diogo Rosendo de Souza.

Vitória foi morta por integrantes de uma facção criminosa que atua com tráfico de drogas e tribunal paralelo. Segundo Dr. Valmon, Vitória procurou a PJC pedindo ajuda, depois de ser alvo de agressões constantes dos criminosos.

Ela fez revelações importantes, e mesmo tendo deixado a cidade, retornou para ser morta pela facção.

Outro crime é o desaparecimento de Diogo de Souza em novembro do ano passado em Cocalinho.
Veja detalhes:


========================================================

Polícia Civil deflagra Operação Tribunal Paralelo em Cocalinho


COCALINHO - Na manhã deste sábado (24/02), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Cocalinho, deflagrou Operação Tribunal Paralelo com o objetivo de cumprir dez ordens judiciais, sendo cinco de busca e apreensão, quatro prisões temporárias contra quatro homens adultos e um mandado de internação provisória em desfavor de uma adolescente.

A ação policial visa esclarecer o homicídio de Vitória Régia Pereira de Santana, ocorrido no dia 08 do corrente mês no bairro Alto Cocalinho, no município, ocasião em que a jovem, de 21 anos, foi executada com três disparos de arma de fogo.

Cerca de duas semanas antes de ser morta, Vitória havia procurado a Delegacia de Cocalinho, no dia 19.01, buscando auxílio, pois já tinha sofrido diversos castigos físicos mediante tortura (salves) de integrantes de uma facção criminosa situada na cidade. Cansada das várias lesões espalhadas pelo corpo e já decretada de morte pelo grupo criminoso, Vitória resolveu contar na delegacia quem seriam os responsáveis por sua execução, além dos castigos corporais.

Diante da gravidade do caso e ciente de que as ameaças iriam se concretizar, ainda mais pelo histórico de homicídios recentes ocorridos no município de Cocalinho com esse mesmo modus operandi do grupo, policiais levaram Vitória para realização de exames e, na sequência, junto à assistência social, conseguiram passagem para tirar a vítima da cidade, sendo embarcada em ônibus para outro município.

No dia 08.02, de forma surpreende, chegou a notícia da execução da jovem, sendo que, por ser usuária de droga, foi atraída para consumo da substância, tendo ali cumprido o decreto da organização criminosa instalada na cidade.

Com todas essas informações devidamente colhidas, o delegado Valmon Pereira da Silva representou pelas expedições da ordens judiciais, sendo deferidas pela Comarca de Água Boa. O grupo responderá pelos delitos de homicídio qualificado, tortura, corrupção de menores e por integrarem organização criminosa.

Importante apontar ainda que há outras mortes e desaparecimentos de pessoas que estão sendo investigadas pela Delegacia de Cocalinho, como o caso de Diogo Rosendo de Souza, o qual foi visto com parte dos faccionados no dia 11.11.2023, e depois disso não retornou mais para casa. As informações apontam que ele foi confundido com integrante de facção rival, foi assassinado e o corpo foi ocultado. Nesse caso, três pessoas já foram presas temporariamente e diligências têm sido realizadas para a localização dos restos mortais da vítima.

*Operação Tribunal Paralelo – Os integrantes da facção executam possíveis rivais sem qualquer justificativa e aplicam a disciplina (salves) em componentes ou simpatizantes do grupo e, em últimos casos, até mesmo a sentença de morte a estes. (Ascom)

Confira Mais Notícias