Água Boa - MT,

A relação dos exercícios físicos com a saúde mental - por Dr. João Lombardi

No mês de Janeiro, é realizado o Janeiro branco com objetivo de promover a saúde mental.Nos últimos anos o foco de saúde mental recebeu maior atenção pois doenças como depressão e ansiedade aumentaram muito a prevalência na população mundial, portanto é extremamente importante a discussão de ferramentas que sejam utilizadas como forma não só de prevenir mas também tratar essas condições.

O exercício físico é uma dessas ferramentas. Os efeitos positivos do exercício físico na saúde mental recebeu foco de pesquisa da comunidade científica, pois efetivamente comprovou aliviar os sintomas da depressão. Ainda que não se possa falar que o exercício seja cura para a depressão clínica, estudos mostram que a atividade física regular pode contribuir para melhorar o humor e o bem-estar geral e deve fazer parte da rotina de todos os pacientes para saúde mental, seja preventivo, seja para tratamento.

Existem algumas hipóteses para explicar a melhora da saúde mental com o treino e seus benefícios. Um deles é a famosa e conhecida liberação de endorfinas, que são substâncias químicas no cérebro que atuam como analgésicos naturais e elevadores de humor, promovendo a sensação de bem-estar! 
O exercício também reduz inflamação no corpo, pois existe associação de inflamação com problemas relacionados a saúde mental quando estão em níveis altos, atuando então o exercício contra esses níveis altos de inflamação.Pacientes com problema relacionado a saúde mental comumente relatam problemas relacionados ao sono e o exercício pode contribuir para uma melhor qualidade do sono.

Alguns outros pontos gerais observados são melhora na autoestima, possivelmente relacionado a uma melhor aptidão física e imagem corporal, interação social pois cria uma rede de apoio e senso de comunidade, criando um ambiente positivo, além de proporcionar uma forma de concentração e atenção plena, o que contribui evitando que ocorra pensamentos prejudiciais que são comuns nesses pacientes. Com um melhor controle de humor a adesão terapêutica a remédios e terapias psicológicas do paciente também melhoram.

Para que o exercício físico seja uma ferramenta valiosa na abordagem relacionada à saúde mental, é importante consultar profissionais de saúde para um plano de tratamento personalizado. O tipo e a intensidade do exercício devem ser apropriados ao nível de condicionamento físico e ao estado de saúde apresentado no momento. 
O acompanhamento longitudinal com avaliações frequentes é mandatória para que a medida que aconteça a melhora do paciente, mais evolução relacionado ao treino possa acontecer, gerando um circuito repetitivo positivo.
* Dr. João Lombardi é médico do exercício e do esporte pela Unifesp, Pós em fisiologia do exercício e metabolismo pela USP de Ribeirão Preto, mestrando pela UFMT, médico do Brasil nas Paralimpíadas de Tóquio, médico assistente do Comitê Paralímpico Brasileiro e diretor do Instituto Lombardi, em Cuiabá (MT).

Confira Mais Notícias