Água Boa - MT,
Saúde de Água Boa cresce mais uma vez na avaliação do Previne Brasil e atinge 9,45

Saúde de Água Boa cresce mais uma vez na avaliação do Previne Brasil e atinge 9,45

ÁGUA BOA - A nota do Município de Água Boa no Previne Brasil segue crescendo a cada nova avaliação divulgada pelo Ministério da Saúde. A avaliação passou de 3,8 do último quadrimestre de 2020 para 9,45 no mesmo período de 2023. A última nota divulgada tinha sido de 9,25, de maio a agosto de 2023. 

O prefeito Dr. Mariano e o secretário municipal de saúde Mateus, parabenizaram a equipe pelo empenho e dedicação, e explicaram que este resultado representa a melhora constante na oferta de saúde para a população, demonstrando em números que o trabalho está no caminho certo. Reforçaram ainda o compromisso da gestão de continuar investindo e buscando melhorias na oferta de uma saúde resolutiva e de qualidade para a população de Água Boa.

Veja os números 

Em 2020 Água Boa estava com 3,8  na avaliação de setembro a dezembro. 

Em 2021, no 1º quadrimestre a nota foi 5,61, no 2º foi 7,22 e no 3º  aumentou para 7,79.

Em 2022, a nota do 1º quadrimestre foi 7,16, no 2º, 7,41 e no último quadrimestre já estava com 8,39.

Em 2023, de janeiro a abril a avaliação foi de 8,82, no 2º quadrimestre teve um salto, passando para 9,25 e continuou evoluindo, tendo como atual avaliação 9,45.

Previne Brasil

O Previne Brasil foi instituído pelo Governo Federal em 2019 com objetivo de avaliar o desempenho na atenção primária levando em consideração sete indicadores e o conjunto desses dados compõem o Indicador Sintético Final (ISF).  

 A cada quatro meses, o ISF é divulgado, gerando impacto no financiamento federal que será enviado para o município.

Nesta avaliação do governo estão estabelecidos sete indicadores que compreendem as ações de Saúde da Mulher, Saúde Bucal, Pré-Natal, Saúde da Criança e Doenças Crônicas (Hipertensão Arterial e Diabetes Melittus). São eles: 

  • Indicador 1: proporção de gestantes com pelo menos 6 (seis) consultas pré-natal realizadas, sendo a 1ª (primeira) até a 12ª (décima segunda) semana de gestação. 
  • Indicador 2: proporção de gestantes com realização de exames para sífilis e HIV. 
  • Indicador 3: proporção de gestantes com atendimento odontológico realizado. 
  • Indicador 4: proporção de mulheres com coleta de citopatológico na APS. 
  • Indicador 5: proporção de crianças de 1 (um) ano de idade vacinadas na APS contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Hepatite B, infecções causadas por haemophilus influenzae tipo B e Poliomielite inativada. 
  • Indicador 6: proporção de pessoas com hipertensão, com consulta e pressão arterial aferida no semestre. 
  • Indicador 7: proporção de pessoas com diabetes, com consulta e hemoglobina glicada solicitada no semestre. (ASCOM)

Confira Mais Notícias