• Anuncie
  • Brasil Escolar

0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 04 SETEMBRO 2019

 

ÁGUA BOA – A Polícia Federal não conseguiu cumprir ontem um mandado de prisão e de busca e apreensão em Água Boa. O mandado de busca e apreensão estava com endereço que não conferia. Já a pessoa que seria presa é considerada foragida.

Aeroportos, Policias Rodoviárias Federais e outras autoridades estão sendo acionados para ajudar a prender o alvo que teria participado de um grande esquema de fraudes na concessão do Financiamento Estudantil (FIES).

Ele também é acusado de comercialização de transferências de alunos do exterior para o curso de medicina em Fernandópolis (SP). Os agentes da Policia Federal continuam procurando o alvo da operação em Água Boa.

O nome e endereço falso onde seriam cumpridas as buscas não foram revelados pela Polícia Federal

 

======================================== 

PF investiga fraudes no FIES - pbulciado em 03 setembro

ÁGUA BOA – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira 03/9, a Operação Vagatomia, que investiga um grande esquema de fraudes na concessão do Financiamento Estudantil do Governo Federal (FIES) e na comercialização de vagas e transferências de alunos do exterior (principalmente Paraguai e Bolívia) para o curso de medicina em Fernandópolis/SP.

Bolsas do PROUNI e fraudes relacionadas a cursos de complementação do exame REVALIDA também estão sob investigação da PF. Aproximadamente 250 policiais federais estão cumprindo 77 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Jales/SP nas cidades paulistas de Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto, Santos, Presidente Prudente, São Bernardo do Campo, Porto Feliz, Meridiano, Murutinga do Sul, São João das Duas Pontes e aqui, em Água Boa, Mato Grosso.

Entre os mandados judiciais expedidos estão 11 prisões preventivas, 11 prisões temporárias, 45 ordens de busca e apreensão e 10 medidas cautelares (alternativas à prisão). A Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados até o valor de R$ 250 milhões. No início do ano, a PF recebeu informações que relatavam crimes e irregularidades que estariam ocorrendo no campus de um curso de medicina em Fernandópolis/SP.

Vagas para ingresso, transferência e financiamentos FIES para o curso de medicina estariam sendo negociados por até R$ 120 mil por aluno. Estimativas iniciais da PF indicam que, nos últimos cinco anos, aproximadamente R$ 500 milhões do FIES e PROUNI foram concedidos fraudulentamente. Cursos relacionados ao exame REVALIDA e transferências do exterior para cursos de medicina no Brasil também estão sob investigação.

“Assessorias educacionais”, com o apoio dos donos e toda a estrutura administrativa da universidade negociaram centenas de vagas para alunos (muitos deles já identificados) que aceitaram pagar pelas fraudes a fim de serem matriculados no curso de medicina. Os alunos e pais, que aceitaram pagar pela vaga e/ou financiamentos públicos, também responderão pelos crimes em investigação na medida de suas culpabilidades.

Nova investigação será iniciada imediatamente pela PF objetivando identificar todos os pais e alunos que concordaram em pagar pelas fraudes praticadas pela organização criminosa e, portanto, também praticaram crimes.