0
0
0
s2sdefault

Atualizada 17 set

 

ÁGUA BOA – A Polícia Civil recuperou o Cruze roubado semana passada da policial civil em Água Boa.

O veículo já tinha sido levado para outro estado. Mesmo assim, após trabalho incansável das forças policiais, o Chevrolet Cruze foi localizado na zona rural do município de Lagoa da Confusão, Tocantins.

A ação da PJC contou com apoio da Polícia Militar de Mato Grosso e Tocantins, possibilitando êxito em mais uma investigação. Várias pessoas ligadas ao assalto já foram presas, porém, segundo o delegado Dr. Gutemberg Almeida, as investigações prosseguem no sentido de desmantelar uma associação criminosa que vinha agindo na região.

O mesmo empenho neste caso em que a vítima foi uma policial civil, foi dado no ano passado, em outro assalto à residência. Aquele caso também foi solucionado com várias prisões de envolvidos. Toda ação violenta tem resposta enérgica da PJC, disse ele.

 

===============================

Atualizada dia 13 set 18hs

 

Dr Gutemberg de Lucena Almeida netÁGUA BOA - Operação Vespeiro
O delegado de polícia de Água Boa informou que a PJC está trabalhando há meses em uma investigação para desbaratar braço de associação criminosa na região e na cidade.
Em outras cidades, braços da mesma quadrilha também foram alvo de investigação. Recentemente houve confronto em Ribeirão Cascalheira, quando um integrante do Comando Vermelho faleceu após trocar tiros com as polícias.
Grupo de Operações Especiais (GOE) de Cuiabá passou a dar apoio nas investigações no Médio Araguaia, para tentar conter o aumento da criminalidade organizada.
Na noite de quinta-feira, 10/09, foi alvo de roubo uma policial civil e seu marido em Água Boa. Na sequência das investigações, foram detidas várias pessoas acusadas de participação nessa quadrilha, e por crimes e contravenções diversas.
Dr. Gutemberg Almeida disse que um empresário da cidade recebia auxílio da quadrilha para dar cobertura na fuga dos criminosos. As forças policiais intensificaram as diligências em várias cidades da região até localizar uma célula em Barra do Garças.
Houve confronto na noite deste sábado com o GOE da PJC, quando um dos suspeitos, participante do roubo em Água Boa, acabou falecendo, disse o delegado. Seu nome é Walles Barbino. O outro suspeito está internado em hospital de Barra do Garças, sob custódia do Estado.
Nessa ação ininterrupta desde a madrugada de sexta-feira, foram detidas duas mulheres, dois menores e alguns adultos suspeitos de integrarem o C.V. No total, foram 9 detenções.
Todos são acuados de roubo qualificado e associação criminosa, além de corrupção de menores (adultos). O delegado chamou a atenção das demais autoridades constituídas para o perigo que representa a facção criminosa com tentáculos fortes na região.
O alerta foi emitido ao Ministério Público Estadual, Defensoria Pública, Poder Judiciário, OAB, a fim de que sejam somadas forças no combate ao crime organizado.
A PJC já sabe que tem muitas pessoas da cidade financiando essa organização criminosa e todos estão sendo investigados.

========================

Publicada em 13 set = 9hs

BARRA DO GARÇAS - No começo da noite deste sábado (12/09) houve confronto entre policiais civis de Barra do Garças e alguns suspeitos. A operação do GOE (Grupo de Operações Especiais) de Barra do Garças deu apoio às investigações da Polícia Judiciária Civil de Água Boa, como resposta à um assalto praticado na noite de quinta-feira, 10/09 para a madrugada de sexta-feira (11/09) à residência de uma escrivã da Polícia Civil de Água Boa.

Ao que tudo indica, os marginais praticaram o crime em Água Boa e alguns fugiram para Barra do Garças, onde ocorreu confronto com policiais civis. Um dos suspeitos morreu na troca de tiros e o outro foi encaminhado para o Pronto Socorro Municipal. As informações foram repassadas pelo delegado Williney Borges Santana.

Segundo ele, o confronto com os suspeitos ocorreu quando os policiais do GOE estavam em diligências atrás dos suspeitos. Informações serão liberadas nas próximas horas.

Assalto - Fontes extraoficiais indicaram que o assalto começou na noite de quinta-feira, 10/09 para a madrugada de sexta-feira (11/09). Dois bandidos entraram na residência e mantiveram a policial civil como refém.

Quando o marido dela retornou para casa, foi agredido e também mantido em cárcere privado. O casal ficou amarrado em quartos separados. Um dos suspeitos estava com um revólver, possivelmente calibre 38 e o outro com uma pistola.

Eles eram magros, pardos, um alto e outro baixo. A dupla vestia camiseta preta, e um deles trajava calça jeans e outro bermuda jeans. Após roubarem alguns pertences do casal, eles pegaram o carro da vítima e tomaram rumo ignorado.

Segundo as vítimas, a dupla agia em parceria com um terceiro elemento fora da casa e a comunicação era feita por telefone.