Água Boa - MT (99,7 FM)

Anderson Samers Bom Dia Interativa
Anderson Samers

Ouça Agora!

(66) 99652-7007

Querência - MT (97,9 FM)

Alessandro Mello Bom Dia Interativa
Alessandro Mello

Ouça Agora!

(66) 98438-0051

Ribeirão Cascalheira - MT (103,1 FM)

Wallacy Riboli Bom Dia Interativa
Wallacy Riboli

Ouça Agora!

(66) 997237390



GREVE DOS POLICIAIS PENAIS: Ato é suspenso até 3 de fevereiro

Atualizada - 06/JAN/2022

ÁGUA BOA - Os policiais penais de Mato Grosso decidiram por manter a suspensão da greve até nova reunião com o governo do estado. A decisão foi tomada em assembleia geral extraordinária realizada pelos servidores nesta quarta-feira (5).

Segundo o Sindicato dos Policiais Penais de Mato Grosso (Sindspen), a paralisação será até o dia 3 de fevereiro, quando está agendada nova reunião com o governo. A categoria estava em greve desde o dia 16 de dezembro.

Os servidores pediram recomposição salarial referentes aos últimos 10 anos e a equiparação salarial com outras forças da segurança pública.

O presidente do Sindicato dos Policiais Penais de Mato Grosso (Sindispen), Amauri Neves, disse que houve uma reunião, nesta quarta, de quase três horas entre os servidores e o secretário-chefe da Casa Civil Mauro Carvalho.

Segundo o sindicato, o governo pediu um tempo para realizar um estudo dos salários das categorias de segurança e fazer um comparativo com o valor pago em outros estados.

Após a reunião com o chefe da Casa Civil, os policiais penais se reuniram e decidiram paralisar a greve.

A greve

Atualmente, são cerca de 2,8 mil servidores, lotados em 46 unidades prisionais. Eles pedem melhores salários e no início do movimento, chegaram a impedir o recebimento de detentos nas unidades prisionais.

O governo chegou a entrar na Justiça contra a greve, mas as sucessivas decisões da Justiça não foram suficientes para por fim ao movimento dos servidores.


==================================

Atualizada - 04/JAN/2022

CUIABÁ - Depois de 19 dias de paralisação, o Sindicato dos Policiais Penais de Mato Grosso (Sindspen) decidiu pausar o movimento e tentar nova rodada de negociação com o governo do estado. A decisão foi na tarde desta segunda-feira (3), em assembleia da categoria.

Segundo o Sindspen, a pausa será de dois dias, começa nesta terça (4) e vai até quarta (5). A expectativa da categoria é da realização de reunião com o governador Mauro Mendes (DEM) para discussão sobre os pleitos da categoria de servidores.

Com o retorno aos postos de trabalho haverá retorno das atividades não essenciais, segundo o sindicato da categoria.

Conforme o presidente do Sindspen, Amaury Neves, a pausa é para demonstrar ao governo a disposição em negociais os principais pedidos da categoria.

A pausa no movimento foi negociada pelo deputado estadual João Batista (Pros). Segundo ele, o governo havia dito que não dialoga com grevistas e defendeu que a pausa é a melhor forma de cobrar uma negociação para o fim do movimento.

Segundo o sindicato, a categoria é composta atualmente por cerca de 2,8 mil profissionais, que atuam nos presídios, cadeias e unidades prisionais.
Ainda não temos informações sobre os grevistas de Água Boa.

=====================================

Atualizada dia 24 dezembro - 2021

passeata policiais penais 24 12 1ÁGUA BOA – Os Policiais Penais em greve realizaram passeata simbólica no Centro da cidade, hoje, sexta-feira (24).

Os grevistas cobram reajuste salarial.

Veja vídeo

Veja fotos

{cwgallery}

 

==================================

Atualizada - 23/DEZ

GREVE DOS POLICIAIS PENAIS: Mesmo após nova decisão da justiça, greve continua em Água Boa

ÁGUA BOA/CUIABÁ – Mesmo após nova decisão da justiça, a greve continua no Presídio de Água Boa.
O desembargador Pedro Sakamoto, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), determinou nessa quarta-feira (22), o afastamento imediato do presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado (Sindspen) e aumentou a multa aplicada pelo descumprimento da decisão para R$ 200 mil, ratificando a ilegalidade da greve deflagrada pelos policiais penais no estado.
De acordo com o magistrado, a nova decisão é em razão da manutenção do movimento e pelo surgimento de 'fatos novos e gravíssimos', como a denúncia da negativa em receber novos presos que viriam de cidades do interior do estado.
Mesmo após essa decisão, nossa reportagem teve contato dos Policias Penais da Penitenciária Major Zuzi de Água Boa, que informaram que não iram recuar, não iram desfazer a greve, e iram permanecer na mesma situação em busca de aumento salarial.
A greve não irá acabar, foi o que afirmaram os Policias Penais em greve do Presídio de Água Boa. A busca do reajuste salarial perdura por 1 década e nunca fora feito acordo com a classe, segundo os servidores. Segundo os Penais, a greve irá continuar incluse em todo o Estado.


==============================

Atualizada - 22/Dez

ÁGUA BOA - Os Policias Penais da Penitenciária Major Zuzi que estão em greve, farão passeata em favor da greve, onde está sendo cobrado reajuste salarial da classe, nesta sexta-feira (24), das 09h às 11h.
O ato simbólico sairá do Anexo do Presídio no Centro de Água Boa, reunirá ao menos 40 grevistas e irá até a Praça da Cultura.


===============================

Atualizada dia 20 dezembro - 17h 30min 

policiais penaisÁGUA BOA – Mesmo após determinações da justiça, os Policiais Penais continuam em greve pedindo reajuste salarial e não estão recebendo presos novos nas penitenciárias do estado, como é o caso da penitenciária local.

Policiais Civis levaram na tarde de hoje, segunda-feira (20), novos presos à penitenciária Major Zuzi, porém, devido a greve, os servidores não receberam os presos e a PJC teve de retornar com os presos para o CISC.

Nossa reportagem esteve no local, e flagrou duas viaturas da Polícia Civil com presos, tentando entrega-los na penitenciária de Água Boa, porém, sem sucesso.

Ouvimos também, os Policiais Penais, que pedem aumento de salário. pjc e policiais penais

Segundo os servidores, são mais de 10 anos sem reajuste salarial da classe. 41% ou mais, dos salários, são descontados em impostos.

Nem mesmo com a transformação em Policia Penal, não fora feito reajuste.

Segundo ainda os grevistas, foram feitas diversas tentativas de acordo sobre os reajustes dos valores com o Governo, mas, a greve se fez necessário, pois, os salários não foram reajustados.

Veja vídeo

 

================================

Atualizada - 20/DEZ - às 10h50

GREVE DOS POLICIAIS PENAIS: Mesmo após decisão judicial, greve continua em Água Boa 

penitenciaria major zuzi abÁGUA BOA – A Penitenciária Major Zuzi continua não recebendo novos presos durante a greve dos Policiais Penais no Estado.

A informação partiu de servidores locais.

Mesmo após a justiça de Mato Grosso declarar a greve ilegal e emitir multa, e posterior o oficio da justiça de Água Boa, rogando que fossem recebidos novos presos, os Policiais Penais, não estão recebendo. A greve cobra melhorias nos salários, equipamentos, entre outros pedidos.

Além de não receber presos, os cargos de confiança estão sendo entregues para a direção das unidades prisionais, fato que ocorre em Água Boa e em todo o Estado. Restrições de visita e não recebimento de presos é uma forma dos servidores protestarem cobrando o atendimento das reinvindicações que são proferidas a vários anos em todo o Estado.


=================================

Atualizada - 20/DEZ

Oficio 3ª Comarca de Água BoaÁGUA BOA – O Juiz em substituição da 3ª Vara da Comarca de Água Boa, Jean Paulo Leão Rufino, emitiu oficio para o Secretário da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária de Mato Grosso, ao Diretor da Penitenciária Major Zuzi de Água Boa e ao Delegado Regional da Polícia Civil de Água Boa, respondendo a ofícios encaminhadas pela Delegacia Regional da Polícia Civil e pela Diretoria da Unidade Prisional Major Zuzi de Água Boa na sexta-feira (17), os quais informavam a deflagração de greve pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen) e também informava sobre as atividades suspensas e permitidas durante período indeterminado.
Uma das atividades suspensas era o recebimento de presos.
Dr. Jean Rufino, no documento, esclarece que o direito de greve é previsto em lei, mas, destaca que, embora prevista em lei a possibilidade de greve, é importante observar, as atividades consideradas essenciais e aquelas inadiáveis da comunidade, conforme artigo da Constituição Federal.
No ofício, o Juiz deixa claro, que levando-se em consideração à essencialidade, ele entende que a recusa ao recebimento de presos que na data do documento estavam custodiados na Delegacia de Polícia em razão da recusa do recebimento na Unidade Penitenciária Major Zuzi Alves de Água Boa, se apresenta de forma contrária à essencialidade desse serviço, tendo em vista o interesse da coletividade na consecução da integral segurança pública aos munícipes da região, como também se mostra, aparentemente, violadoras dos direitos básicos dos segregados, o que implicará, possivelmente, na violação da dignidade da pessoa humana.
Concluindo, Dr. Jean, exorta que seja dada continuidade nas atividades essenciais, em especial o recebimento de presos, em atenção as normas constitucionais. A falta da prestação dos serviços ditos essenciais à comunidade, segundo o Juiz, poderá ocasionar uma desordem desmensurada, com eventuais implicações jurídicas aos responsáveis.
Assina o documento, Jean Paulo Leão Rufino, Juiz de Direito em substituição legal da 3ª Vara da Comarca de Água Boa.
Oficio 3ª Comarca de Água Boa
Oficio 3ª Comarca de Água Boa




=========================================

Atualizada - 18/DEZ - 07h30

Tribunal de Justiça de MTCUIABÁ - O Tribunal de Justiça de Mato Grosso declarou ilegal a greve deflagrada pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado (Sindspen-MT) e determinou que os policiais penais retornem imediatamente ao trabalho. A decisão foi dada pela desembargadora Antônia Siqueira Gonçalves nesta sexta-feira (17/DEZ).
Em caso de descumprimento, será aplicada multa de R$ 100 mil por dia. 
Para a desembargadora Antônia Gonçalves, a greve dos policiais pode trazer "danos a toda população que depende do sistema prisional do Estado de Mato Grosso". De acordo com a magistrada, os policiais penais estão enquadrados como servidores da Segurança Pública e, portanto, não podem realizar greve.
"Desse modo, com fundamento no artigo 300, §2º, do Código de Processo Civil,  CONCEDO  a tutela provisória de urgência pretendida para determinar que todos os servidores do sistema penitenciário estadual, filiados ou não SINDSPEN/MT, retornem imediatamente  às suas atividades, sob pena de multa diária no montante de R$100.000,00 (cem mil reais), sem prejuízo de desconto remuneratório dos dias paralisados aos servidores grevistas, independente de filiação sindical, observando o decidido na RE nº 693.456, do STF", decidiu. 

O processo

Na ação, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) relatou que a greve é ilegal e abusiva, pois não respeitou a manutenção do percentual mínimo de servidores nos postos de trabalho. 
Além disso, a PGE alegou que sempre se colocou à disposição para o diálogo, porém o sindicato insiste em cobrar reajuste em "patamares irreais", reivindicando aumento de 90% no salário. Outro fato grave relatado pela Procuradoria é que o sindicato postou orientação no sentido de os servidores não receberem novos presos, não atenderem advogados e defensores dos presos, suspender visitas e banhos de sol e até mesmo atendimento médico aos detentos. 
"Houve recusa de recebimento de presos nas Unidades Penitenciárias de Água Boa e de Rondonópolis, tendo a Polícia Civil inclusive formalizado representação para que fosse determinado o recebimento de presos pela administração do Presídio Regional de Água Boa", diz trecho da ação.


=============================================

Atualizada dia 17 dezembro 

paulo cesar alves de souza diretor do sindicato dos servidores penitenciariosÁGUA BOA – Participa das Notícias Interativa, Paulo Cesar Alves de Souza, diretor do Sindicato dos Servidores Penitenciários. Em pauta, a greve dos policiais penais.

Ontem, os servidores penitenciários não aceitaram receber novos presos.

Policiais civis e militares, e o promotor de justiça da comarca, estiveram na penitenciária Major Zuzi ontem no começo da noite, para apresentar 5 pessoas presas em operações policiais.

O promotor de justiça, Dr. Luis Alexandre Lentisco e o Delegado de Polícia Dr. Valmon Pereira da Silva, tentaram argumentar com os policiais penais sobre a situação dos presos, mas não foram atendidos.

Paulo Cesar disse que o Sindspen segue uma cartilha grevista. Afirmou que desde setembro a categoria tenta negociar com o governo do Estado, sem solução para o impasse.

Eles pedem reajuste e equiparação salarial com as demais categorias.

O Sindspen alerta que durante a greve, ficam suspensas as visitas de familiares aos reeducandos. Nem visitas de advogados não serão aceitas.

Confira a entrevista.

 

================================================

Atualizada dia 16 dez - 20hs

Policiais Penais entram em greve e não recebem presos na Penitenciária Regional

greve penal 1ÁGUA BOA - Policiais Civis e Militares estiveram no final da tarde de hoje na Penitenciária Regional Major Zuzi com objetivo de entregar algumas pessoas presas. Porém, os policiais penais de plantão se negaram a receber os presos.

O promotor de Justiça da comarca, Dr. Luis Alexandre Lentisco, e o delegado de polícia, Dr Valmon Pereira da Silva estiveram no local acompanhando os fatos.

O promotor tentou argumentar com a categoria, que não receber preso extrapolava o direito de greve, porém, a categoria não aceitou negociar.greve penal

Dr. Valmon Pereira da Silva informou que foram transportados alguns presos até a Penitenciária, mas os policiais penais não receberam os mesmos.

Agora, o Dr. Valmon vai informar o fato ao Poder Judiciário.

Fontes ligadas aos policiais penais em greve disseram que nesse momento, a greve deve continuar.

Eles lutam por melhores salários.

Detalhes nas próximas horas.

 

=========================

penitenciaria regional major zuziÁGUA BOA – Policiais Penais da Penitenciária Regional Major Zuzi estão efetuando uma paralisação.

Os policiais penais lutam por melhores salários e equiparação salarial com outras categorias da segurança pública de Mato Grosso.

Durante a greve, os policiais penais não receberão novos reeducandos, nem visitas de advogados.

Atualmente estão reclusos mais de 550 presos na penitenciária regional.

Veja vídeo

Veja mais notícias: