• Anuncie
  • Brasil Escolar

0
0
0
s2sdefault

QUERÊNCIA - A Secretaria Municipal de Saúde desenvolve ações de combate à Hanseníase durante todo o ano. O município de Querência registrou 131 casos da doença em 2018, dos quais 88% evoluíram para cura.

Doença silenciosa, crônica e que causa incapacitação, a hanseníase é infectocontagiosa sendo transmitida pelo ar, geralmente em ambientes fechados e pela proximidade e contato prolongado. Se detectado precocemente, em 6 meses o paciente pode ser totalmente curado. Porém a doença pode levar até 7 anos para se manifestar. Os sinais típicos da doença são manchas claras ou avermelhadas, falta de sensibilidade pontual ao quente ou gelado, dormência nas mãos, braços e pés e a perca da força nas pernas.

A informação sobre a manifestação clínica da hanseníase em cada pessoa, é fundamental para determinar a classificação operacional da doença como Paucibacilar (poucos bacilos) ou Multibacilar (muitos bacilos) e para selecionar o esquema de tratamento adequado para cada caso.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza o tratamento e acompanhamento da doença em unidades básicas de saúde e em referências. O tratamento da doença é realizado com a Poliquimioterapia (PQT), uma associação de antibimicrobianos, recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa associação diminui a resistência medicamentosa do bacilo, que ocorre com frequên­cia quando se utiliza apenas um medicamento, o que acaba impossibilitando a cura da doença. 

Os medicamentos são seguros e eficazes. O paciente deve tomar a primeira dose mensal supervisionada pelo profissional de saúde. As demais são auto-administradas. Ainda no início do tratamento, a doença deixa de ser transmitida. Familiares, colegas de trabalho e amigos, além de apoiar o tratamento, também devem ser examinados.

Para crianças com hanseníase, a dose dos medicamentos do esquema padrão é ajustada de acordo com a idade e o peso. Já no caso de pessoas com intolerância a um dos medicamentos do esquema padrão, são indicados esquemas substitutivos.

A alta por cura é dada após a administração do número de doses preconizadas pelo esquema terapêutico, dentro do prazo recomendado. O tratamento da hanseníase é ambulatorial, ou seja, não necessita de internação.

DIAGNÓSTICO

A avaliação dermatoneurológica em Querência é feita por enfermeiras e médicos, nas seguintes datas, locais e períodos:

Terça - Centro de saúde - Manhã

Terça - UBS Setor Imperial - Manhã

Quarta - UBS Setor G - Manhã

Quinta - UBS Setor E / Centro de Saúde - Manhã / Tarde

Sexta - UBS Setor F e Nova Querência - Manhã / Tarde

Nos dias de avaliação são atendidos poucos pacientes no período, priorizando emergências, pois o tempo de realização do exame por cada paciente é de cerca de 1 hora.

Lembrando que cada unidade de saúde possui dias específicos para atendimentos de gestantes, crianças, idosos, hipertensos, diabéticos e pré-natal.

Em apenas um ano, o número de casos de hanseníase cresceu 20,82% em Mato Grosso, que é considerado há anos o Estado com o maior índice da doença. A taxa de descoberta, em 2017, foi de 105,2 casos por 100 mil habitantes com registros de 3.477 casos novos da doença. Já em 2018, foram registrados 4.201 novos casos, com 125,6 casos por 100 mil habitantes. Atualmente, 5.942 pessoas estão em tratamento para a cura da hanseníase, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Ses-MT).

O Brasil ocupa a 2ª posição do mundo, entre os países que registram casos novos, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Em razão da elevada carga, a doença permanece como um importante problema de saúde pública no País.

SITES ESPECIALIZADOS E REFERÊNCIAS

Para facilitar o acesso da população às informações de como diagnosticar e tratar a hanseníase, vários sites tratam sobre a doença.  O site oficial da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso tem como endereço eletrônico de acesso às informações sobre doenças crônicas, entre elas a hanseníase, o seguinte link: http://www.saude.mt.gov.br/cidadao/352/informacoes-de-saude.

Em Mato Grosso, a saúde realiza o serviço de orientação permanente aos profissionais da área médica, de enfermagem e agentes comunitários de saúde, por meio do núcleo Telessaúde MT. Neste site é possível acessar o Manual Informativo 01, que trata o tema hanseníase para os agentes comunitários de saúde. Profissionais da atenção primária cadastrados na Plataforma Telessaúde podem solicitar teleconsultorias para auxílio na elucidação diagnóstica de casos clínicos. http://www.telessaude.mt.gov.br/Arquivo/Download/4201

Já o Ministério da Saúde mantém uma página atualizada sobre a hanseníase, contendo fluxos, protocolos clínicos, diretrizes terapêuticas, informações técnicas e publicações da área: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/hanseniase

A Organização Mundial da Saúde orienta sobre a Estratégia global para hanseníase 2016-2020:

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/06/Estrategia-Global-para-Hanseniase-OMS-2016-2020.pdf

E a Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) disponibilizou o acesso às peças da campanha “Todos Contra a Hanseníase”:

http://www.sbhansenologia.org.br/campanha/janeiro-roxo   

A SBH criou a Página de Facebook da campanha “Todos Contra a Hanseníase” – SBH - é uma página interativa contendo fotos e vídeos de casos clínicos e atividades desenvolvidas pela SBH com o lema da campanha:

https://www.facebook.com/todoscontraahanseniase/

Além de disponibilizar as ações desenvolvidas e os casos clínicos de hanseníase no seguinte endereço eletrônico: https://www.facebook.com/SBHansenologia/

A luta contra a hanseníase conta com o importante apoio da Associação Alemã de Assistência aos acometidos pela hanseníase e tuberculosos (DAHW – Deutsche Lepra – und Tuberkulosehilfe) – No Brasil a DAHW está presente no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Maranhão. Desde o ano de 2016, a FUNDHANS assumiu a gestão dos projetos da DAHW no Brasil:

http://www.fundhansdahw.org.br/

O blog da FUNDHANSDAHW contém informações preciosas sobre casos clínicos, direitos humanos, aspectos históricos e informações específicas de psicologia e odontologia, entre outros assuntos de interesse:

http://www.fundhansdahw.org.br/conteudo/

Outro importante apoiador é o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN), que tem como missão “possibilitar que a hanseníase seja compreendida na sociedade como uma doença normal, com tratamento e cura, eliminando assim o preconceito e estigma em torno da doença”. O site possibilita uma viagem na linha do tempo para conhecer a história de sofrimento e superação de Francisco Nunes, o Bacurau, ícone de resistência e luta pelos direitos das pessoas com hanseníase: http://www.morhan.org.br/  

A ONG disponibiliza ainda o serviço de Telehansen: desenvolvido pela MORHAN, é um canal voltado ao esclarecimento de dúvidas sobre a hanseníase: Ligue para o serviço TeleHansen 0800 026 2001.

Veja Também