Ao Vivo Água Boa - MT (99,7 FM)

Daniela Borges Programa: Rota Interativa
Locutor: Daniela Borges

Ouça Agora!

(66) 99652-7007

Ao Vivo Querência - MT (97,9 FM)

Darlene Marques Programa: Rota Interativa
Locutor: Darlene Marques

Ouça Agora!

(66) 98438-0051

Setembro Verde: A colonoscopia e o câncer colorretal

dra nivea santos cirurgia geral e endoscopistaEstamos no Setembro Verde, mês de conscientização sobre a importância da prevenção do câncer de intestino, também conhecido como câncer colorretal, o terceiro tipo de tumor mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres no Brasil.

A incidência da doença aumenta com o passar da idade, e o rastreio, feito através da colonoscopia, vem contribuindo para a redução da mortalidade por essa neoplasia nas últimas décadas.

Isso acontece porque este exame permite a remoção de lesões pré-malignas (pólipos) e a detecção de tumores em estágios mais precoces. A maioria dos cânceres do cólon e do reto surge a partir pólipos encontrados na superfície da parede intestinal.

Nem sempre esses pólipos vão progredir para um tumor maligno, e, quando isso ocorre, demora cerca de 10 anos.

Mesmo assim, qualquer pólipo encontrado em uma colonoscopia deve ser removido e encaminhado para análise. Os pólipos intestinais podem variar em tamanho, número e tipo e são essas as características avaliadas para determinar a frequência com que o exame deve ser repetido.

A maioria das pessoas deve realizar sua primeira colonoscopia entre os 45 e 50 anos de idade. Essa recomendação foi atualizada recentemente pela Sociedade Americana de Câncer devido ao aumento de casos da doença em pacientes jovens. Anteriormente, a idade recomendada era de 50 anos.

O sedentarismo, o consumo de carne vermelha, o tabagismo e o uso de álcool são fatores associados com aumento do risco de câncer colorretal que pode ser reduzido com o consumo de vitaminas, frutas e vegetais, o uso de ácido acetilsalicílico entre outros.

Algumas pessoas apresentam maior risco para o desenvolvimento da doença, como portadores de doença inflamatória intestinal, pessoas com familiares em primeiro grau acometidos por câncer de intestino e indivíduos com doenças hereditárias que aumentam a chance de múltiplos pólipos e tumores intestinais.

Para esses casos, existem recomendações específicas de idade para a primeira colonoscopia e o intervalo entre os exames.

Existem outras formas de rastreio para o câncer intestinal, porém a colonoscopia permite a visualização direta da parede do intestino e a remoção e/ou biópsias de pólipos e lesões suspeitas em um único exame.

Dra. Nívea Santos é cirurgiã geral e endoscopista em MT

Veja mais notícias: